❰BLOG❱ . 5 hábitos que não te deixam economizar dinheiro

#1

Veja quais situações mais levam o consumidor a gastar por impulso e outras dicas para controlar melhor o seu orçamento

A base de qualquer dica sobre finanças pessoais é bastante simples: o consumidor precisa saber quanto entra e quanto sai do seu bolso. Em outras palavras, o único jeito de economizar dinheiro é ter um controle mínimo de quanto se ganha e quanto se gasta a cada mês.

Criar um orçamento é, sim, o primeiro passo – mas é possível tomar alguns cuidados diários para eliminar da rotina hábitos que impedem as pessoas de economizarem mais no dia a dia.

Veja abaixo 5 delas.

1. Gastar por impulso

Quase 60% dos brasileiros admitem fazer compras não planejadas ao longo do mês. Os dados abaixo, de uma pesquisa de 2018 feita pelo SPC e a CNDL, podem ajudar a entender quais momentos ou itens costumam levar a este tipo de comportamento:

  • roupas, calçados e acessórios (19%),
  • compras em supermercados (17%),
  • perfumes e cosméticos (14%)
  • idas a bares e restaurantes (13%)

Qual é o problema desse hábito : Perder o controle do orçamento mensal.

Gastar por impulso é, por definição, fazer uma compra sem ter certeza de que ela cabe no seu planejamento financeiro. Isso se torna um problema ainda maior quando as compras são parceladas no cartão – o que nos leva ao item 2.

Como mudar esse hábito:

  • Avalie a necessidade do gasto. Uma boa dica é criar o hábito de sempre pesquisar preços e opções antes de finalizar uma compra – o que, no mínimo, dá mais tempo para pensar.

  • Cheque o seu limite do cartão e saldo em conta antes de fazer uma compra não planejada.

2. Não planejar o parcelamento

Um outro levantamento da CNDL mostra que apenas 31% dos consumidores fazem as contas para decidir a quantidade ideal de parcelas de acordo com seu orçamento. Um número considerável de pessoas (15%) simplesmente parcela no maior número de vezes possível.

Escolher o número máximo de parcelas não é necessariamente um erro – desde que essa escolha esteja de acordo com seus gastos. É preciso ter em mente que as parcelas “comem” parte do seu limite, comprometendo futuras compras.

Em algumas semanas, essa falta de planejamento pode levar o consumidor a buscar outras alternativas para cobrir os gastos no fim do mês – como entrar no cheque especial, uma modalidade de crédito com juros altíssimos.

Como mudar esse hábito:

  • Checar o seu limite e parcelas já comprometidas na hora de decidir em quantas vezes irá dividir uma compra.

3. Pagar sempre o mínimo do cartão

Pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito significa rolar a dívida do restante para o futuro e pagá-la com juros. Isso rapidamente se transforma em uma bola de neve.

A opção de pagar o mínimo só deve ser considerada caso o cliente realmente esteja com dificuldades para arcar com toda a fatura. Nesses casos, o mínimo é melhor do que simplesmente atrasar o pagamento total.

Veja quando parcelar a fatura do seu cartão é a melhor opção .

4. Não negociar as dívidas (fundamental para economizar dinheiro)

De acordo com dados do Serasa, cerca de 40% da população brasileira acima de 18 anos tem ao menos uma conta em atraso – e o cartão de crédito é uma das maiores fontes de dívida da população.

Por que esse hábito é um problema : toda dívida em aberto leva à cobrança de juros. Enquanto a não for quitada, a dívida só cresce.

Como mudar esse hábito:

Um dos primeiros passos para pôr a vida financeira em ordem é justamente negociar as dívidas em aberto e conseguir melhores taxas ou prazos. A maioria das instituições financeiras está aberta a pelo menos conversar com seus credores para tentar encontrar uma solução que funcione para os dois lados.

Veja aqui: como negociar dívida do cartão

Veja 5 passos que vão te ajudar a quitar as dívidas.

5. Não controlar (minimamente) os pequenos gastos

É irreal imaginar que todas as pessoas conseguem (ou querem) registrar cada um dos seus pequenos gastos diários. No entanto, é preciso ter pelo menos uma noção da ordem de grandeza que a soma dessas despesas representa no seu orçamento.

Se um gasto esporádico se torna diário – como fazer refeições fora de casa, pedir delivery de comida ou um carro por um aplicativo de transporte – é importante ter algum controle sobre essas despesas.

Como mudar esse hábito:

De forma geral, controlar os gastos com serviços já cadastrados no seu cartão de crédito – serviços de entrega, streaming, aplicativos, etc – é um ótimo primeiro passo para garantir que o que parece um pequeno gasto esporádico não se torne um rombo de algumas centenas de reais no orçamento mensal.

E lembre-se: Ter um planejamento financeiro não significa deixar de gastar com aquilo se gosta – pelo contrário. O planejamento funciona apenas como forma de não perder o controle das despesas e saber justamente quanto sobra para as não essenciais.

Fonte: https://blog.nubank.com.br/economizar-dinheiro-5-habitos-que-atrapalham/

7 Likes
#2

… Toda a semana, na hora de comer.

1 Like
#3

Tamo junto hahaha

2 Likes
#4

Segue imagem para complementar o conteúdo: :slightly_smiling_face::+1:


Fonte: Bem pro Bolso

1 Like
#5

@Cruz e seus tópicos educativos, show de bola meu amigo!!! :facepunch::clap:

2 Likes
#6

Acho muito legal isso do Nubank.

Eles esclarecem seus próprios clientes sobre os perigos de pagar apenas o mínimo do cartão, talvez a principal fonte de renda da empresa. :clap::slightly_smiling_face::+1:


Tópicos do @Cruz

#7

Se contabilizar todos os almoços fora em dias da semana (durante o trabalho), gasta-se um absurdo, por isso de terça a sexta levo minha comida. Economizando sempre o possível.

1 Like
#8

Gastos por impulso com certeza são os mais frequentes em cartões de créditos pela facilidade que lhe é oferecida. Mas se conseguíssemos nos controlar e aplicar em nossas vidas financeiras o uso somente do que é necessário aí sim conseguiríamos guardar algum dinheiro para realizá algum sonho ou para de repente surgir o inesperado nunca se sabe quando vai ficar sem trabalho ou doente, são acasos da vida.

1 Like