Dúvida Sorteio Mega WOW

Olá!
Gostaria de entender melhor o funcionamento do sorteido o Mega WOW.
Segundo o app, “para concorrer aos sorteios dos cinco MEGA WOWs, basta fazer e receber transferências via Pix aqui no Nubank”. (…) “Cada transferência feita via Pix, iniciada ou recebida na conta do Nubank, te dá um número da sorte”.

Isso significa que posso ficar transferindo R$1,00 entre minha conta Nubank e de outro banco quantas vezes quiser que vou ter cada ver mais chaves e mais chances de sucesso no sorteio? Até porque Pix não tem custo nem limite no número de transações certo?
Quem se aproveitar de um bot/macro para automatizar isso consequentemente teria muito mais chances…

2 Curtidas

Não é válido quando a transferência é feita entre mesma titularidade e/ou entre nucontas. Mas se vc e um amigo quiserem ficar trocando até 0,01 pra conseguir mais números da sorte, acho q é possível (não sei dizer se eles conseguem pegar esse tipo de coisa no sistema deles…)

5 Curtidas

Rapaz… mas é espeeeeerto!!!

(Tenho até medo!)

1 Curtida

Acho que o Nubank deve ter pensado nisso.

2 Curtidas

Se não me engano tem um limite máximo, pelo que ouvi falarem no fórum pode chegar a 200 cupons.

1 Curtida

Quando eu leio coisas assim, fico a me perguntar: que culpa tem os políticos se há tantas brechas para eles aproveitarem?
Triste pensar que tudo que se quer fazer por aqui tem de antecipadamente já se pensar em como alguém vai tentar desvirtuar para levar vantagem.
Como é dificil seguir a regra…
Também penso que o Nubank já deve ter a “vacina” contra isso (e tem gente que vai tentar mesmo, só ver as maracutaias já feita na Nota Fiscal Paulista, para ganhar o prêmio). Transferências de baixo valor, repetidamente, em contas que não faziam isso anteriormente, não deve ser dificil de detectar.

5 Curtidas

Sim, é limitado a 200.

1 Curtida

Bem colocado. Os governantes que aí estão foram escolhidos dentre nós, ou seja, o erro está na maioria, precisamos refletir e procurar ser pessoas melhores, sobretudo, menos egoístas e mesquinhas

1 Curtida

Há uma “historinha” por aí (não real mas o que importa é a cutucada), mais ou menos na seguinte linha:
Um brasileiro chega ao metrô da Suécia e vê lá no canto uma catraca com uma placa “Somente para quem não possui dinheiro”. Como assim? Aí ele vai conversar com alguém responsável por ali e pergunta de que se trata.
E recebe a resposta: “Simples, acontece que às vezes chega alguém que não tem o dinheiro suficiente para a taxa, porque esqueceu, gastou tudo e nem percebeu ou é alguém da rua, que não tem como pagar. Então eles vão e passam naquela catraca, sem pagar”. E o brasileiro, já vacinado por aqui (não contra o Covid, claro) replica: “Mas vcs não tem receio de todos passem por lá, sem pagar. Afinal, é só dizer que não tem dinheiro”.
E a voadora no peito, em resposta: “Mas porque alguém faria isso?”
Cristalino: se vc tem dinheiro, porque passaria em um lugar reservado a quem NÃO tem dinheiro? Não é para vc. Ponto! Como a vaga de idoso, se vc não é idoso.
O dia em que a gente entender e praticar esta lógica, sim, seremos um país de honestos e nossa classe política refletirá isso, como é lá naquele países.

Porque alguém inventaria transferências que não teria porque fazer? Eu só faço uma por mês, da minha aula. Porque vou inventar?

E daí vc estende isso para uma infinidade de casos que mostra como somos desonestos. Queremos levar vantagem em tudo. E aí quando um cidadão deste se elege(sindico, vereador, SAB, deputado, etc), não vai ver nada demais em se aproveitar das tantas mordomias, mamatas, nepotismo, 10% de intermediação, 10% no salário do assessor, “presente” por ter “ajudado” um amigo, etc.

Há um livro chamado “A mais pura verdade sobre a desonestidade”. Parece que tem documentário baseado nele, na Netflix. Acho que o título é “Desonestidade”.

3 Curtidas

Faz muito sentido.
Exemplificou, ilustrou e resumiu.

Parabéns!

2 Curtidas

Aparentemente o pessoal considerou que eu perguntei isso a meu benefício próprio… pergunto porque trabalho nessa parte de segurança de sistemas e sei que alguém se aproveitaria, eu não tenho nem tempo nem contas pra fazer isso… rs.
A maior inocência é fazer um sistema com a brecha e acreditar que ninguém se aproveitaria, sendo país de primeiro mundo ou não. Mas se o limite é de 200, isso sana a dúvida!

Vou procurar. Gostei da sugestão

1 Curtida