Nubank Rewards viagem para o Japão

“Como usei o Nubank Rewards em minha viagem para o Japão”

Mesmo do outro lado do mundo, consegui usar o programa de benefícios do Nubank, o Rewards, para acumular pontos e depois apagar gastos de minha fatura.

17 jun 19 Produtos
por Júlia Miozzo


Viajar para o Japão era um sonho da minha irmã mais nova – e, em 2018, decidimos que março do ano seguinte seria o momento de realizá-lo.

Planejar uma viagem para Japão não é muito diferente de planejar uma viagem para outro lugar. É preciso buscar passagens aéreas, hotéis organizar um roteiro e planejar os gastos. O problema: não é uma viagem barata. Exatamente por isso, o orçamento foi o que guiou todo o nosso planejamento.

Planejar uma viagem para o Japão

Tóquio, capital japonesa

Começamos a nos organizar para a viagem em agosto de 2018, seis meses antes da data da de embarque. Primeiro, compramos as passagens aéreas; logo em seguida, já reservamos todos os hotéis e hostels – esse é um ponto importante: a hospedagem no Japão nem sempre é barata; reservar com a maior antecedência possível é uma boa tática para garantir hotéis bons e com preços razoáveis.

Nem sempre, claro, dá pra fugir da alta dos preços, especialmente quando se viaja na alta temporada. Esse foi o meu caso: os meses de março e abril são o período em que as cerejeiras, cartão postal do país, florescem, e atraem turistas de todo o mundo. É importante ficar de olho no período em que você vai viajar.

Ao meu ver, a parte mais importante do planejamento foi identificar todos os gastos que teríamos por lá e saber o quanto gastaríamos com cada item – alimentação, passeios, transporte, etc. De cara, já vimos que os preços não eram nada baixos, apesar de a moeda, o Iene, ser desvalorizada em relação ao Real.

A conversão do Iene para o Real é de R$ 0,036. Dez reais, portanto, são equivalentes a aproximadamente 280 Ienes. No entanto, para efeito de comparação, R$ 400 é aproximadamente 10 mil ienes.

Por isso, desde o começo, tivemos que enxugar os custos ao máximo; isso significa optar por hotéis e hostels mais baratos, planejar cada dia da viagem já estimando o quanto gastaríamos em cada um, buscar restaurantes mais acessíveis… Entre outras coisas.

No geral, essa foi a ideia: aproveitar ao máximo tudo que nos ajudaria a reduzir os custos – e isso incluiu usar o Nubank Rewards, programa de benefícios do Nubank, para apagar alguns dos gastos da fatura.

Entretanto, nem todos os estabelecimentos japoneses aceitam pagamento em cartão de crédito, por incrível que pareça.

Por isso, não foi possível concentrar todos os gastos da viagem no cartão de crédito, e levamos uma boa quantia de dinheiro em espécie. Usamos ele para pagar transporte, hospedagem e os gastos com alimentação no começo da viagem. Para as compras, usamos o cartão de crédito.

Compras no Japão

Loja de departamento tradicional no Japão

Antes de começar a falar sobre como usei o Nubank na viagem, vale dizer: o Japão é um ótimo lugar para fazer compras. Eletrônicos, câmeras fotográficas, cosméticos, roupas, itens de decoração e até bugigangas para a casa têm ótimos preços, normalmente mais baixos do que os encontrados no Brasil.

Além disso, o sistema Tax Free é muito interessante para turistas: a cada 5 mil ienes gastos em lojas que participam do programa Tax Free, o imposto VAT é excluído e a compra sai mais barata; o turista não chega a pagar por ele para depois pegar os valores de volta, no aeroporto – é muito mais simples e vantajoso.

Como usei o Nubank Rewards para economizar

Sabendo disso, antes de embarcar para a terra das cerejeiras, foi fácil me planejar: eu tinha em mãos uma lista (enorme) de compras e concentrei todas elas no meu cartão Nubank para poder pontuar no Rewards. Muitos cosméticos japoneses, um novo celular, alguns souvenirs e maquiagens: essas foram minhas principais compras.

A compra de valor mais alto, de um novo smartphone, me deu muitos pontos no cartão. Muitos gastos que fiz, antes, durante e depois da viagem, foram apagados de minha fatura exatamente com esses pontos – gastos com restaurantes, gastos feitos com Uber e Cabify antes da viagem e mensalidades de streaming.

Consegui, por exemplo, eliminar R$ 300 em despesas com restaurantes e até compras em supermercados japoneses; também consegui apagar de minha fatura outros R$ 100 gastos com app de transporte.

Uma dica para tornar isso mais fácil: pesquisar sobre o destino que você conhecerá, as formas de pagamento mais comuns e ter uma lista de compras já organizada ajuda – e muito – a garantir que você não se dará mal ou vai se atrapalhar com os gastos da viagem. Anote tudo, saiba o quanto gasta e controle seu orçamento.

No geral, só lojas grandes – e alguns poucos restaurantes – aceitam cartão de crédito. E uma curiosidade: diferente do Brasil, onde existe uma infinidade de maquininhas de cartão, no Japão só existe uma – simples e cinza! Por lá, prevalecem as notas e moedas de iene e os cartões Suica e Icoca, que podem ser usados para pagar o metrô e até fazer compras em lojas específicas.

Em resumo, o que fiz foi:

  • Concentrei todas minhas compras e parte dos gastos com alimentação no cartão Nubank;
  • Acumulei pontos no Nubank Rewards e, com eles, apaguei alguns gastos de minha fatura antes mesmo de ela fechar; fiz isso de uma só vez.

Vale dizer que essa foi a experiência que eu tive, a partir de como me organizei financeiramente para a viagem. Isso pode ser diferente para você – e tudo bem!

O importante é aproveitar as ferramentas que tem e ter controle sobre seu orçamento; voltar de viagem com uma surpresa nada boa na fatura do cartão não é legal!

Dúvidas sobre o Rewards

Uma dúvida comum que recebemos aqui no blog: compras feitas no exterior pontuam no Rewards? A resposta é sim! Da mesma maneira que compras feitas no exterior também podem ser apagadas com pontos do programa de benefícios.

Vale lembrar: os pontos sempre são contados a partir do gasto total em reais feito em determinada transação, tal como os gastos apagados, mesmo feitos em outro país, também são contados em reais.

Isso vale para o Japão e para qualquer outro país para onde você for viajar – as vantagens do Rewards são infinitas e dá para aproveitá-las em qualquer lugar do mundo.

12 Curtidas

Arrasou! Eu estou planejando minha próxima viagem para o exterior, mas ainda não tenho renda o suficiente para sair ganhando com o Rewards

4 Curtidas

Quem pode pode né

2 Curtidas

Parabéns, belo planejamento, pretendo fazer o mesmo em minhas viajem, mas serão bem mais modestas :smile::smile:

1 Curtida

Essa eu não sabia, obrigada por compartilhar as dicas. Estou pensando em viajar pra terra do sol nascente tb, amei o relato da viagem, vai me ajudar com o planejamento. :+1:t2:

2 Curtidas

Que bom @Cacau, @lucasreisras e @William_Peixoto. Espero que dê tudo certo!

2 Curtidas