O porquê do Rewards não valer a pena para milhas

Como foi dito que era permitido, vou fazer um tópico comparando outros produtos de outras empresas. O meu objetivo não é fazer propaganda, mas fazer uma análise simples sobre o assunto, limitando a uma renda baixa. Vou comparar poucos produtos. Segundo o próprio site da latam pass, smiles e tudo azul, cada milha vale 7 centavos.
Pode ser que essa relação mude, fique mais vantajosa ou o contrário. Especialmente porque pagar com milhas geralmente é mais barato.
A metodologia vai ser três valores de gastos mensais: 2000, 3000 e 4000 reais. E quanto você ganha de volta no fim das contas. Usei duas casas decimais.
Para a comparação vou usar o dolár PTAX de hoje: 5,43 (arredondando pra cima)

Quanto você ganha no Nubank:
Ex formula: (2000 * 12 * (1/80))-190

  • 2000 reais: (usando 1/80, que é a conversão real para milhas aéreas) 300 reais - 190 = 110 reais;
  • 3000 reais: 450 reais - 190 = 260 reais;
  • 4000 reais: 600 reais - 190 = 410 reais;

Usando o smiles (fator de conversão de 1/4):
Ex formula: (2000 * 12 * (1/4)*0,07)-190

  • 2000 reais: 420 - 190 reais = 230 reais
  • 3000 reais: 630 - 190 = 440 reais
  • 4000 reais: 840 - 190 = 650 reais.

O primeiro candidato são os cartões de graça do Banco do Brasil (e acho que do Itaú e Santander também):
Oferecem 1 ponto por USD. No momento o Banco do Brasil oferece 3 desses cartões, sendo que um deles é necessários gastar 100 reais por mês. O mesmo vale para o cartão do Santander.
Cada real gasto dá 0,18 ponto, com uma gasto mensal de 2000 reais, isso dá 4420 pontos (arredondando para cima, assim como manda a regulamentação do programa). Multiplicando pelo valor de pontos para reais, isso da cerca de 310 reais de retorno no ano.

  • 2000 reais = 4420 pontos = 310 reais
  • 3000 reais = 6630 pontos = 464 reais.
  • 4000 reais = 8840 pontos = 619 reais.

O segundo são 4 na verdade: Os cartões Itaucard LatamPass e Tudo Azul. Eles tem requisito de renda de 800 reais e gastos de 1000 reais (ou paga-se anuidade de 264 e 300 reais respectivamente) para a categoria visa international. Para visa gold é 2500 de renda e 2000 de gastos (ou 396 e 438 respectivamente). Já que os valores que estou usando garantem isenção de anuidade, vou assumir que não tem (já que você não vai pagar anuidade de qualquer forma).

  • Os visa international têm 1,3 ponto/USD pra Latam e 1,4 ponto/USD pra Tudo Azul;
  • Os visa gold têm 1,6 ponto/USD pra latam e 1,7 ponto/USD pra Tudo Azul.

Visa International Latam:
0,24 ponto/BRL

  • 2000 reais = 5760 pontos = 403 reais
  • 3000 reais = 8640 pontos = 605 reais.
  • 4000 reais = 11520 pontos = 806 reais.

Visa International Tudo Azul:
0,26 ponto/BRL

  • 2000 reais = 6200 pontos = 434 reais
  • 3000 reais = 9300 pontos = 651 reais.
  • 4000 reais = 12400 pontos = 868 reais.

Visa Gold Latam:
0,29 ponto/BRL

  • 2000 reais = 7090 pontos = 496 reais
  • 3000 reais = 10630 pontos = 744 reais.
  • 4000 reais = 14180 pontos = 992 reais.

Visa Gold Tudo Azul:
0,31 ponto/BRL

  • 2000 reais = 7530 pontos = 527 reais
  • 3000 reais = 11300 pontos = 790 reais.
  • 4000 reais = 15065 pontos = 1054 reais.

O último é o Itaucard pão de açúcar, que está atualmente indisponível (infelizmente), ele tem anuidade (não negociável de 380 reais - o que é o dobro do rewards), renda mínima de 2500 reais assim como os visa gold acima. No valor de reais, eu desconto a anuidade.
1 ponto/1 BRL

  • 2000 reais = 24000 pontos = 1300 reais
  • 3000 reais = 36000 pontos = 2140 reais.
  • 4000 reais = 48000 pontos = 2980 reais.

Bônus:
Cartão free BB: 1000 reais = 2210 pontos = 154 reais. Nesse patamar de gastos o rewards não é vantajoso, segundo a própria Nubank.

Com certeza existem outros cartões mais vantajosos, porém eu não conheço.
Vale lembrar que no BB e em outros bancos o prazo de validade dos pontos é de 2 anos, e no latam pass e tudo azul os pontos expiram em 2 anos igualmente.

A conversão feita para passagens aéreas vale também para comprar em supermercados, segundo um nubanker, já que a conversão é mesma. Então caso o seu objetivo seja apagar compras do tipo, o valor que volta para você é o mostrado acima.

O nubank rewards é bom pela praticidade de poder apagar compras de uber, ifood, etc, pelo fato de você poder sair do programa sem ter que cancelar o cartão e pelos pontos não vencerem (o que pra mim não é tão vantagem assim, já que podemos vender as milhas em vários sites, o que é muito vantajoso em alguns cenários).
No quesito “cashback” e milhas, o rewards perde para os cartões free dos bancos, a não ser em valores mensair próximos de 4000 reais. A partir dessa faixa de gasto vale a pena ter outros tipo de cartões como os dos programas de companhias aéreas.
O Nubank rewards perde para todos os cartões dos programas de milhas em todas as faixas de gasto mostradas acima.
Gastos acima de 4000 já fazem valer a pena considerar cartões platinum ou até mesmo black em alguns casos (que têm pontuação muito maior e vários outros benefícios).

O Nubank rewards valeria a pena caso o valor fosse menor, ou se tivesse diferentes “tiers” com anuidades diferentes e recompensas também.

Espero que gostem do comparativo e caso conheçam outro cartão melhor que os supracitados, favor me informar :+1:

8 Curtidas

Bela análise. Bem detalhada :wink:

3 Curtidas

Excelente tópico!

Coloquei em formato de tabela para facilitar a comparação.

Nível de gasto: 2.000 3.000 4.000
Smiles 230 440 650
Cartões gratuitos BB e Santander 310 464 619
VISA Intern. LATAM 403 605 806
VISA Intern. Tudo Azul 434 651 868
VISA Gold LATAM 496 744 992
VISA Gold Tudo Azul 527 790 1.054
Nubank 110 260 410
5 Curtidas

Turma, o smiles esta aparecendo para vocês hoje no Rewards?

1 Curtida

Boa tarde, eu não trabalho no Nubank nem estou defendendo o programa do Nubank (eu não uso), mas o comparativo tem falhas importantes que eu preciso apontar.

Vou copiar aqui o que respondi a respeito no reddit:

O comparativo não tem sentido pois são sistemas fundamentalmente diferentes e os cálculos estão errados.

Sobre o erro nos cálculos: usar 1 milha = 7 centavos não faz nenhum sentido. Não importa o que as operadoras dizem, não é esse o valor de mercado. Se você for vender as milhas as cotações são entre 1,8 centavos e 2,3 centavos. Me diz onde tem alguém comprando por 7 centavos cada milha que vou vender todas as minhas agora mesmo. Na verdade não tem!

Você pode até obter 7 centavos em trocas específicas em passagens a preço cheio (caríssimas em R$ e em milhas, não vale a pena nunca), mas para comparar com nubank não tem que ser em passagens e sim em R$, dado que o rewards é muito fácil de usar o benefício em dinheiro (apagar compra, praticamente cashback). Ou seja, teria que usar o preço por milha se você fosse vender, que é em torno de 2 centavos (podendo variar, mas não é 7 centavos).

Sobre passagens, nas passagens em preços razoáveis ou promocionais a relação de troca nunca é 7 centavos, é muito menor. Acabei de ver aqui um vôo que costumo usar tanto com milhas quanto reais, ida e volta fica 23.000 milhas, em reais pegando o exato mesmo vôo fica R$560,80, o que dá 2,5 centavos por milha. O único que achei a 7 centavos por milha era quase 6x mais caro em R$ em um trecho parecido com esse, ou seja, extremamente desvantajosa a troca.

Se refizer os cálculos usando essas estimativas mais realistas (1,8 a 2,5 centavos por milha) o resultado muda bastante. Mas AINDA dá pra fazer milhas valer bastante a pena, porém não é tão simples. Para milhas realmente valer a pena, além de cartão platinum ou black, precisa gastar algum tempo para o seguinte:

  • caçar promoções de bônus de milhagem (+50%, milhas em dobro, etc);

  • cuidar para os pontos não expirarem;

  • caçar promoções ou uma boa passagem em milhas.

Se não fizer os 3 pontos acima, não vai ter vantagem real. Fazer os 3 pontos acima demanda certo tempo. O yield final do uso em milhas é altamente dependente de você gastar tempo nos 3 fatores acima, principalmente nos bônus, podendo ser muito bom ou se você não tomar cuidado ser pior que cashback. Além dos fatores acima para valer a pena, os melhores cartões se baseiam também em diversos intangíveis como acesso a salas VIP, fatores que podem ser importantes ao usuário.

A essência do negócio de MILHAS é a relativa dificuldade de uso, se todos conseguissem usar todas as milhas o sistema daria prejuízo, mas muitas milhas são expiradas sem uso, é isso que equilibra o sistema. É bem diferente da essência de programas como o do Nubank (e outros programas de cashback), que são sustentáveis por si só, ou seja, se todos usarem o Nubank não quebra, está apenas compartilhando uma parte das taxas que recebe.

Não existe almoço grátis, os programas com mais yield (R$ recebido sobre R$ gastos, no final de tudo) vão ser mais difíceis de usar. Um cartão genérico com milhas (podendo transferir para qualquer programa) traz menos yield que um já atrelado a algum programa ou cia aérea (mais difícil de usar, menos opção). Um dos melhores que havia eram os CCs das montadoras retornando até 5% dos gastos em desconto na compra de carro, mas obviamente com o uso mais restrito de todos, só para comprar carros da marca emissora. Cashback - como é a natureza verdadeira do rewards do nubank - vai ser sempre o menor yield mas o mais fácil de usar.

A conclusão é: cada um escolhe o nível de trabalho que deseja ter nesse assunto, conforme os cartões que tem disponíveis para si, indo desde zero trabalho em programas de cashback até significativo trabalho nos programas normais de milhagem e bastante trabalho em cartões ultra-específicos (como o citado das montadoras que devolvia 5%).

7 Curtidas

Eu discordo.

Vamos pegar valores reais. Vou usar a smiles porque ela é a interceção entre o cartão free do BB e o rewards com a integração com smiles.

Com 2000 reais temos 6000 milhas no ano com o nubank.
Com 2000 reais temos 7135 milhas no com o BB.

Por que isso? 4420 milhas do programa (grátis por sinal) + 2715 milhas compradas por 190 reais que é o custo do rewards (190/0.07). Isso porque eu estou usando o valor de 0,07 por milha, o que poderia dar mais milhas, já que quando você mais compra, menor é o preço do milheiro.

Usei o valor de 0,07 centavos como efeito de comparação. Porque no caso do post é necessário ter um parâmetro para que a comparação seja verdadeira (não da para comparar laranjas com maçãs). Os valores não representam o valor de venda! Talvez isso não tenha ficado claro pelo que escrevi e talvez você também não tenha entendido direito. Erro meu ter colocado sobre isso no começo do post. O post tem efeito de comparação de cashback, custo-benefício do programa, e é o que foi mostrado no post e acima.

Concordo que não vale a pena vender milhas a não ser se for numa promoção, mas isso vale para o nubank também ora. Se você vender as suas milhas do smiles é equiparável. Repito novamente, a ideia é fazer uma comparação entre os programas como cashback.

As milhas nos bancões tem no mínimo 4 anos de validade (2 no banco + 2 no programa) No meu caso são 5 anos. Essa questão de validade é bobeira, é só ter organização.

E não é necessário esse “trabalho” de ir atrás de promoções. Simplesmente compre com antecedência. Eu não preciso de fazer esse “trabalho” que você citou. Não busco promoções em milhas, nem em passagens e a questão da validade tratei acima.

Dou um exemplo, agora usando a Azul: GRU x CNF por 4k milhas ida e volta (+ as taxas de embarque que dão 65 reais). Pagando no dinheiro isso da 395 reais com as taxas inclusas. Isso dá cerca de (0,0825 centavos/milha, tirando a taxa de 65 reais - (330/4000)).

Qual a dificuldade de transferir as milhas do banco para o programa? Eu faço isso em segundos… Qual a dificuldade de comprar uma passagem aérea? Se você se programar e comprar as passagens com pelo menos um mês de antecedência, não sei como não é vantajoso.

Enfim, como você disse cada um escolhe o seu nível de trabalho. Para mim usar milhas é simples e fácil. Acumular elas é o dificil não tendo muito gasto.
O motivo do post, novamente falando, é mostrar que existem opções e alternativas melhores ao rewards.

2 Curtidas

Diálogo interessante e inteligente. Assim que eu gosto! Parabéns pra vocês, continuem só aprendendo aqui.

MichaelPopCorn

Eu uso programa de milhagem. Não sei sua idade, mas provavelmente uso a muito mais tempo que você, em diferentes cartões de diferentes bancos e já viajei a trabalho semanalmente tendo categorias superiores nas principais aéreas.

Programa de milhagem tem yield maior que cashback, com trabalho maior para usar, a comparação não pode ser só no yield. O yield de reais ganhos por reais gastos será sempre inversamente proporcional à facilidade de uso. A ordem será:

Cashback < cartão com milhas < cartão vinculado a uma cia aérea específica < cartões exóticos (como o das montadoras que davam 5%)

A comparação exclusivamente em yield significa não entender a proposta de valor de cashback: conveniência. É menos complicado de usar, é menos complicado de administrar para a emissora, é o único que faz sentido o Nubank oferecer, dada filosofia da empresa.

Com 2000 reais temos 6000 milhas no ano com o nubank. Com 2000 reais temos 7135 milhas no com o BB.

Não há por que transformar programa de cashback em milhas, perde o propósito. Se quer usar milhas adquira um cartão de milhas. Cashback tem objetivo de conveniência em troca de yield menor.

2k por mês a 1/80 do Nubank entrega R$110 líquidos descontando anuidade.

2k por mês em um cartão com conversão 1:1 entrega ~4400 milhas (usando dólar 5,5), transformar isso em dinheiro é vender, a 2 cents/milha dá R$88 líquidos e na verdade não vai nem conseguir vender nessa quantidade pequena de milhas.

O cartão de milhas pode ser muito bom, mas para isso você tem que:

  • Ter um cartão decente (1,3 ou 1,5 pontos por dólar, ideal 2);

  • Ficar atentos aos bônus das cias aéreas (que chegam a 100%, mas 40-50% já vale transferir);

  • Ficar atento a promoções de passagens aéreas;

  • Ser um usuário de passagens aéreas pelo menos anualmente para começo de conversa (a esmagadora maioria dos brasileiros não é).

Tudo isso significa tempo gasto. E isso está ficando repetitivo, são coisas que já comentei na outra mensagem.

GRU x CNF por 4 milhas ida e volta … Isso dá cerca de (0,0825 centavos/milha

Converter nessa proporção com preço razoável é a exceção e não a regra. Peguei os mesmos aeroportos e uma data aleatória em novembro, 8k milhas smiles ida e volta, valendo 3,2 centavos por milha se comparar com preço em reais da Gol (o que já é uma conversão OK), menos que isso se compara com pagar em reais voando de TAM (opção mais barata nas datas). Ou seja, não é apenas “comprar com atencedência”, você vai precisar ficar atento a promoções específicas e ter a flexibilidade de viajar nas datas promocionais, ou seja, muito mais trabalho que cashback que aperta um botão e pronto.

Se você não busca promoções nem bônus, é uma escolha e problema seu, está deixando dinheiro na mesa e usando o programa de forma sub-ótima.

Essa questão de validade é bobeira, é só ter organização.

Novamente você não entendeu o que eu falei. É claro que é só ter organização. Verificar quando vai vencer, anotar em algum lugar = trabalho. Por mais rápido que seja, ocupa tempo, é justamente o que falei. E eu não estou falando que as TUAS milhas irão vencer, e sim que grande parte da carteira de milhas de qualquer programa de milhagem simplesmente vence e só por isso os programas de milhagem conseguem dar um yield maior que cashback, porém se todos conseguissem resgatar sem perdas o programa quebraria. Volto a repetir: yield desses programas será sempre inversamente proporcional à facilidade de uso, não existe almoço grátis.

Respeitosamente encerro aqui minha participação no tópico. Para quem quiser aprender mais como usar cartão de milhagem no seu máximo potencial, tanto nas questões de milhas quanto intangíveis que muitos oferecem, com depoimentos e dicas de quem faz uso dessa forma, visitem o fórum da página Falando de Viagem. Lá tem tópicos específicos discutindo cada cartão do mercado, é uma boa fonte de informações a respeito, com foristas que são veteranos usando CCs a décadas, postem lá suas dúvidas.

2 Curtidas