Como começar a guardar dinheiro?

Como começar a guardar dinheiro?

Quer fazer uma viagem, uma compra de maior valor, mas não sobra dinheiro no final do mês? Você não está sozinho. Veja um passo a passo para ajudar a reverter essa situação.

Guardar dinheiro é essencial para atingir grandes objetivos – fazer uma viagem, aposentar-se mais cedo, montar uma casa, etc. Mas, no Brasil, segundo uma pesquisa da CDNL, quase metade (47%) dos jovens não começou ainda a organizar suas finanças – o primeiro passo para conseguir guardar dinheiro. Como começar a fazer isso?

Entender melhor a sua vida financeira é a primeira etapa – isso significa saber o quanto você recebe e o quanto gasta a cada mês. Mas fique tranquilo: cuidar das finanças não significa ter que contar moedas ou perder muito tempo classificar cada pequeno gasto.

Primeiro passo: classifique seus gastos

Para onde vai seu dinheiro? Quanto você gasta com suas despesas básicas? E com estilo de vida? Para ter maior controle sobre suas finanças, é preciso ter em mente esses valores. A ideia ainda não é criar um orçamento – apenas saber o quanto você gasta, em média, e com o quê.

Algumas das maiores despesas para levar em conta são:

  1. Moradia (aluguel e/ou condomínio; contas de água, luz, gás,IPTU;
  2. Transporte (inclui aplicativos de carros, estacionamento, gasolina, aluguel de bicicletas,etc)
  3. Alimentação (restaurantes, supermercado);
  4. Saúde (convênio, consultas, medicamentos);
  5. Educação (mensalidades, cursos, material escolar, livros);
  6. Casa (produtos de limpeza, gastos com manutenção ou faxina);
  7. Serviços (TV a cabo, internet, plano de telefone);
  8. Dívidas (financiamentos, parcelas atrasadas);
  9. Lazer.

Se você possui um cartão de crédito Nubank e concentra seus gastos nele, isso fica mais fácil: ele automaticamente classifica suas compras em diferentes categorias; algumas já vêm prontas (saúde, transportes, alimentação, entre outras), mas também é possível personalizar.

Passo 2: Estabeleça um orçamento para cada categoria

Com seus gastos e receitas já listados é hora de criar um orçamento – um limite de gastos para cada categoria. Não existe segredo: basicamente, é preciso estabelecer um valor máximo ou porcentagem de sua renda para cada uma das categorias.

Por exemplo: a cada mês, você gastará somente 10% de sua renda com seus hobbies – o restante será usado para pagar contas e para construir uma reserva de emergência. Não existe uma única fórmula já que as economias variam conforme suas prioridades e objetivos.

Mas vale dizer: o orçamento é um guia que ajuda na hora de planejar e cumprir os gastos. Ele não deve ser visto como algo que engessa as suas ações, mas sim como um controle.

Um orçamento serve também para ajudar a identificar quais dos seus gastos são os mais flexíveis e onde cortar, ou onde gastar mais.

Para quem precisa de um pouco de ajuda, existe um método simples que pode ser aplicado nesta etapa: o chamado 50-15-35. Ele consiste em separar 50% de sua renda mensal para gastos essenciais (educação, moradia, contas de água e luz, etc), 15% para prioridades financeiras (em outras palavras, para guardar) e 35% para estilo de vida. Saiba mais sobre ela aqui.

Passo 3: Tchau para as dívidas

Antes de começar a de fato guardar dinheiro, é importante se livrar das dívidas – afinal, quanto mais tempo uma dívida fica em aberto, mais juros são aplicados sobre ela (o que pode acabar se transformando em uma bola de neve).

Quitar ou renegociar as dívidas deve ser prioridade antes de começar a guardar dinheiro.

Veja algumas dicas de como se livrar delas e até de como negociardívidas com cartão de crédito.

Passo 4: Hora de guardar dinheiro

Depois de ter uma noção do seu orçamento e negociar as dívidas, é hora de finalmente começar a guardar dinheiro.

Para evitar problemas no futuro, o ideal é começar com uma reserva de emergência (se você ainda não tem uma) – ela nada mais é do que um dinheiro guardado para imprevistos, uma forma de preservar sua vida financeira quando eles acontecerem.

A reserva de emergência deve ser de em média seis salários mensais, segundo educadores financeiros. Isso significa que se seu salário for de R$ 2 mil, sua reserva deverá ser de R$ 12 mil.

É importante não deixar de lado essa etapa, mesmo que você também comece a guardar dinheiro para outros objetivos – como viajar.

Passo 5: Invista

Tanto sua reserva de emergência quanto suas economias podem (e devem!) ser investidas em produtos de renda fixa – mas fuja da poupança. Apesar de segura, a poupança oferece um rendimento muito baixo.

Mas por que renda fixa?

Os investimentos de renda fixa são os de menor risco do mercado pois o investidor, logo ao aplicar em produtos desse tipo, tem maior clareza do quanto terá de rendimento. Isso significa que o rendimentooferecido pelos investimentos não sofrem oscilação ou, se sofrem, é baixa, e não existe perda do dinheiro investido.

Muitos investimentos em renda fixa também têm liquidez diária, o que significa que o dinheiro colocado nele pode ser resgatado a qualquer momento. Isso é importante para quem está criando uma reserva de emergência ou economizando para viajar, por exemplo.

Hoje, existem produtos de renda fixa e que também permitem ao usuário resgatar os valores sempre que precisarem – como a NuConta, que rende 100% do CDI. Lembrando que nela você pode usar a função Guardar dinheiro para separar suas economias do dinheiro que você usa no dia a dia, seja para pagar contas, fazer transferências, etc.

A verdade é que mesmo seguindo todos esses passos, começar a guardar dinheiro exige organização – e, claro, dar o primeiro passo.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira.

Fonte: Blog: Fala Nubank!

11 Curtidas