Dicas para comprar o primeiro Ap

Estou em busca do primeiro e gostaria de algumas dicas pré e pós-financiamento. E sugestões para não comprometer meu orçamento.:sweat_smile:

Obrigada :purple_heart:

4 Likes

Cara, é bastante complicado ao meu ver, eu mesmo optei pelo programa Minha Casa Minha Vida, com ele consegui juros muito baixos, parcelas que não irão comprometer meu orçamento, é relativamente simples de fazer, e ainda consegui utilizar meu FGTS para abater boa parte das parcelas, sendo que com o dinheiro que economizo com isso mobiliei meu AP, não é grande, mas é um bom padrão, bem localizado aqui na minha cidade.
Ao menos pra mim que vivia no aluguel foi um ótimo negócio. Não sei sobre a tua realidade, então como falei lá em cima é bem complicado opinar.

2 Likes

Melhor opção: à vista.
2a melhor: consórcio
Pior: financiamento.

Senta que vem textão :grimacing:

Deixe o financiamento como última opção. Analise as outras. Se vc tem um valor para entrada, veja se consegue fazê-lo chegar a uns 50 a 60% do valor do imóvel. Se conseguir, faça um consórcio e use este valor para dar lance e contemplar. Também se pode usar FGTS como parte do lance em consórcio. Mas é preciso ler bem o contrato para não se decepcionar, já que a Caixa não ajuda muito…

Não demonize aluguel. É uma ótima opção, dependendo da sua realidade, para planejar algo mais sólido. Vários fatores precisam ser analisados: solteiro, recém casado, emprego sólido, emprego sujeito a variações, filhos, etc.
Dependendo das variáveis, uma boa solução é vc se planejar para alugar um AP, poupar a diferença entre o aluguel e o financiamento e depois de alguns anos ter aquele valor para dar uma boa entrada ou até fazer o consórcio.
Vou dar um exemplo numérico e vc faça a sua planilha, com a sua realidade e comprove.
Aqui na minha região, um AP de 200 mil sai por 800,00 de aluguel, em média. Se vc financiar, dificilmente pegará uma prestação inferior a 1.800 ao mês. Se vc alugar e separar a diferença de 1000 e aplicar mês a mês, em 5 anos vc já terá poupado mais de 60.000. Se vc agregar ainda 13o, mais alguma poupança, mais juros compostos no período, passa de 80 mil. Tenho um colega que fez isso por 9 anos e comprou quase à vista um AP de 500 mil. Se vc tiver um valor que seria a entrada, melhor ainda. O fundamental aqui é disciplina para poupar a diferença e não gastar em churrasco.
Ocorre que as pessoas tem esta visão torta de que aluguel é jogar dinheiro fora. Não, desde que bem planejado. Pesquise as agências bancárias de sua cidade e verá que quase todas são alugadas. Ora, banco joga dinheiro fora? Não sabe ganhar dinheiro? Porque aluga ao invés de comprar?

Outro grande problema do financiamento: vc paga 1800 mas só abate uns 400 do saldo devedor. O resto é tudo JURO! Tanto que tem correção (IGPM, acho) e às vezes vc paga e o saldo nem diminui.

Outro problema das pessoas é pressa, ansiedade. Investimento não produz resultado em 6 meses. Vc só perceberá a vantagem do juro composto a seu favor depois de uns 4 anos. Mas as pessoas não tem paciência. O banco tem, espera 20 anos e fatura uma fortuna com os juros compostos a favor dele.

Repito: faça vc os seus cálculos e sua planilha. Projete para 3 anos, 5 anos, 10 anos. Verifique o valor do aluguel do AP e o valor da parcela de financiamento para comparar.

E, em último caso, se nenhuma opçao funcionar, resta o financiamento, que implica pagar mais de 2 imóveis no prazo de 20 anos e ter, ao final, um com 20 anos de idade, precisando de reforma.
E se for esta opção, dê um jeito de ir usando qualquer dinheiro poupado para abater o saldo devedor, sempre que possível. Os juros são de doer… Em 2 anos dá para comprar um carro …

5 Likes

Aqui onde moro um AP de 200k o aluguel não sai por menos de 1200 reais.
Eu mesmo optei pelo financiamento junto a caixa justamente pela parcela do AP ser menos que a metade desse valor, e estou falando de um AP cujo valor é pouco inferior. Há opções mais baratas, como as kitnets, mas para quem tem esposa, filha e dois cachorros igual a mim seria impossível morar assim. :sweat_smile::sweat_smile::sweat_smile:
Sei que muito difícil analisar sem saber a realidade de cada um, mas pra quem viveu a vida inteira pagando um absurdo de aluguel, ter algo que de fato é seu, sem precisar se preocupar em desocupar o imóvel no fim de cada contrato já é um alento.

2 Likes

Uso muito a planilha para projeções mensais mas ainda não tinha pensado nessa perspectiva.:grin:
Obrigada :purple_heart:

Caso opte pelo financiamento, o MCMV seria uma opção.
Ainda não encontrei nenhum empreendimento que seja próximo ou de fácil acesso ao meu serviço. :sweat_smile:
De qualquer forma, obrigada :purple_heart:

1 Like

A dica do @Jotapb é excelente @Raquel_Nascimento1, isso também depende muito da realidade de cada um, eu particularmente sou muito chato pra escolher o lugar definitivo onde quero morar, por isso não optaria pelo financiamento, analiso tudo, se tem saneamento, se é tranquilo o lugar, tem perspectiva de o bairro se valorizar, se a prefeitura cuida bem dele, variedade de linhas de transporte público, próximo ao trabalho, escolas, etc. Ficar no aluguel dá esse tempo pra gente se decidir e claro ir juntando e investindo para poder ter um bom aporte na entrada do imóvel.

2 Likes

Curioso a parcela ser menor que o aluguel. Quando andei mexendo com isso, o juro da CEF era na casa de 9% a.a. Não sei como estão os juros hoje mas tem que estar muito baixo para a prestação ser menor. Até entrei no site da Caixa agora para simular mas pedem celular e tals, não quero gente ligando depois rsrs
Outra coisa é quanto vc deu de entrada e qual o prazo total. Na época que eu estava vendo minha casa, a relação era mais ou menos 100.000 de empréstimo resultava em 1.000 de parcela, se 200.000 era 2.000 e assim por diante.

Acho que isso seria um tanto complicado.
Qualquer que seja sua opção, boa parte do seu orçamento será comprometido.

Eu acabei de quitar meu financiamento que iniciei em 2011 e fiz basicamente o seguinte:

  • Até a entrega das chaves, juntando FGTS e prestações, paguei cerca de 50% do valor.
  • Amortizei o saldo devedor a cada 2 anos sempre usando o FGTS.

Dívidas longas podem ser problemáticas se não houver controle e disciplina.
Não será possível obter êxito sem algum nível de sacrifício.

3 Likes

Exato!!! Quem não conhece bem o lugar, alugar para experimentar é uma ótima idéia. Eu aluguei meu AP por um ano antes de comprar. Vc se surpreende com coisa agradáveis e desagradáveis que só uma olhada não mostra.
Há uma frase que diz:
As 3 coisa fundamentais para se ver antes de comprar uma casa são: a localização, a localização e a localização. Conheça bem as redondezas, trânsito, vizinhança, possibilidade de construção de um novo prédio do lado do seu e matar sua vista e privacidade, etc

3 Likes

Eu irei pagar 5%a.a, sendo que paguei a entrada diretamente para a construtora, parcelada sem juros nos dois anos em que a obra estava sendo efetuada. E utilizei meu FGTS o de minha esposa para amortizar a dívida restante que eu teria com a caixa. O saldo da divida resultou em parcelas bem menores do que eu pagava de aluguel, e de quebra posso utilizar o que for entrando de FGTS pra amortizar a dívida de ano em ano.

Tenho 360 meses pra pagar, mas não pretendo demorar tudo isso não :joy::joy::joy::joy: A projeção que fiz junto com a corretora é que no máximo em 10 anos eu pago o AP, e inclusive ganhei subsídio pois minha esposa na época não possuía renda comprovada, meu salário era menor e eu trabalhava em apenas um emprego.

1 Like

Ah, sim, com juros a 5% é outra história rsrsrs Mas vc construiu um cenário muito bom. Parabéns!
Por isso a recomendação a cada um: faça a sua planilha e análise a partir da sua realidade, sabendo das alternativas, já que nem todos conseguirão as mesmas condições

2 Likes

Não discordo, achei seu argumento muito bom por sinal, e como comentei em uma das minhas respostas acho que depende muito de cada pessoa. Eu na época poderia inclusive utilizar meu carro e minha moto para abater o saldo devedor, mas não achei viável. Enfim, é aquela história, cada caso é um caso. Abraço.

1 Like

Exato, encaro minha jornada dupla dessa forma, infelizmente há situações que não há outra forma de serem resolvidas sem o sacrifício, nem todo mundo está bem estabelecido financeiramente, mas disciplina e comprometimento já resolvem boa parte dos problemas.

2 Likes