Amizade e perrengues financeiros?

Exatamente! Kkkkkkkk Fala baixo! :joy:
Mas meus amigos deixam, dizem que é taxa de administração do cartão! :crazy_face:

2 Likes

Gente eu to morta com os relatos! kkkkk
Temos aqui tanto os amigos que ajudaram quanto os que foram ajudados né? Equilibrio é tudo :joy:

A minha história e maior preju foi essa aqui:
Quando o Uber chegou no Brasil, lá em 2014/2015, eu tinha um celular muito ruinzinho e uma vida financeira bagunçada (ainda não tinha o roxinho em minha vida). O plano era ir para uma balada com minha melhor amiga, para agilizar tudo eu emprestei meu cartão de crédito para ela cadastrar na Uber e pedir o carro. Eis que a noite rolou e eu não descadastrei o cartão do aplicativo dela. :no_mouth:
Seis meses depois (porque a fatura de cartão de crédito nos bancões eram aquela bagunça né? Zero atrativo de acompanhar) eu fui olhar a fatura retroativa, somando os valores de Uber (que eu só tinha usado aquela vez), o gasto era de uns R$600 ~ R$700 (em seis meses).

Daí vocês imaginam o meu desespero! Lembro de chorar de ódio - capricorniana como eu sou. Fui falar com minha melhor amiga, ela ficou tão chocada quanto eu! Chorou junto e explicou que foi um mal entendido, ela não imaginava que TODAS as vezes que ela pediu Uber fui eu que paguei. rs

Ela pagou o valor parcelado durante quase um ano. Ainda somos muito amigas! Mas só porque eu acredito que foi leseira de ambas, acho que não teria estômago para ser amiga de alguém que me prejudicasse financeiramente de propósito, sabe?

15 Likes

:joy::joy::joy::joy::joy::joy::joy: pra sua amiga foi bom enquanto durou neh @LarissaC.

2 Likes

KKKKKKKKK QUISERA EU SER PATROCINADA ASSIM NE

mas sem precisar pagar depois

9 Likes

Nosso segredinho aqui da NuCommunity :wink: :sweat_smile:

5 Likes

Sua amiga estava usando um mega cupom do Uber! :joy::joy: Que situação chata viu! Longe de mim esse BO! :crazy_face::sweat_smile:

4 Likes

Eu tenho uma história vinda diretamente do início dos anos 2000, quando eu e mais três amigos resolvemos ir assistir um jogo da Chapecoense :nigeria: tendo apenas o dinheiro das passagens de ônibus no bolso.

Nessa época o time da Chapecoense era conhecido apenas a nível estadual, e não disputava o campeonato brasileiro, o time estava bem mal das pernas na realidade e estavam até mesmo distribuindo ingressos de graça para quem quisesse assistir aos jogos. Foi então que 4 adolescentes completamente lisos resolveram ir para o jogo apenas com grana o suficiente para pagar as passagens até o estádio e pra voltar pra casa.

Sol quente, jogo ruim, sem grana pra água ou refri, mas ali estávamos os 4 firmes e fortes em um sábado a tarde torrando no sol. Na saída do estádio a fome e a sede eram tanta que resolvemos fazer uma votação: usamos a grana do busão pra comer e beber algo e voltamos pra casa andando ou esperamos o busão com fome e sede e depois comemos em casa? Foi unânime a primeira opção, a fome e sede eram maiores.

Juntamos antão a grana dos 4 e deu pra comprar dois cachorros-quentes e um refri, dividimos tudo e matamos parcialmente nossa fome e sede, o problema era que agora estávamos completamente lisos e longe de casa.

No fim deu tudo certo, chegamos em casa sãos e salvos, exaustos, queimados do sol e novamente com fome e com sede. :sweat_smile: :sweat_smile: :sweat_smile: :sweat_smile:

Hoje penso que se na época já existissem aplicativos tipo Uber ou 99 e ao menos um de nós tivesse um cartão de crédito tudo teria se resolvido de forma fácil e rápida, porém não teríamos histórias como essa pra contar.

11 Likes

:rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl: que doideira desses caras.

4 Likes

Lembro de uma viagem que fui para Aparecida do Norte com meu amigo, na época eu trabalha e ele também, mas o orçamento não era aquelas coisas. Juramos que não íamos gastar em nada além do necessário. Mas havia um obstáculo no nosso caminho: A Feirinha! Conclusão, voltei com tantas coisas de lá, inclusive um Binóculo que até hoje está no mesmo lugar. :sweat_smile:

10 Likes

Nossa quanta história legal, hoje tá corrido aqui no trabalho mas vou ter que conta minha história.

Na época da faculdade sempre saiamos da aula sexta-feira e íamos ao um posto de combustível que ficava em frente comprávamos umas cervejas e ficávamos ali por umas horas conversando entre colegas sobre os mais diversos assuntos possíveis.
Em uma sexta dessas havia um show/bailão na cidade do Tchê Barbaridade ( uma das maiores banda gauchesca do estado ), eu e outro colega começamos a conversar sobre a vontade de ir no show naquela noite mas pela época do mês não tínhamos recebido ainda o salario. No decorrer das conversas uma colega nossa nos disse que tinha 2 ingressos e que dava eles para nós por que não poderia ir. E lá fomos nós no bailão só com o ingresso na mão e sem mais nada de dinheiro, chegando lá encontramos vários amigos e fizemos a festa curtimos a noite bebemos com os amigos e para nossa surpresa chegamos em casa eu com R$ 5,00 e ele com R$ 2,00 e nem sabíamos da onde aquele dinheiro que ainda deu para dividirmos um Xis salada ( saudades quando xis custava R$ 7,00 ).

Saudade desta época, há e outro detalhe que faltou, fomos pagar a colega que nos deus os ingressos e ela não quis receber disse que era presente para nós

14 Likes

Perrengues financeiros parte 1.

Quem nunca passou por um perrengue financeiro né, seja ele grande ou pequeno? Provavelmente todo mundo aqui, assim como eu, deve ter passado por vários e entre os que passei, há um que está em primeiro lugar no pódio dos meus perrengues.
Acho que o ano era 2005, eu cursava Escola técnica (atualmente chamada IFPE), então a rotina diária era, ai pra Escola, largava da escola, ia trabalhar, largava do trabalho, voltava pra família. Na época, para pagar minha passagem no busão, eu usava um Bilhete Eletrônico Estudantil, era um cartão com chip parecido com um cartão de crédito que precisava ser inserido numa máquina que fazia leitura e liberava a catraca. A cada 15 dias eu precisava recarregar esse cartão e pra isso, tinha que ir na sede da Autarquia Municipal que geria o transporte metropolitano aqui de Recife (EMTU na época). Costumava fazer as recargas, sempre 1 dia depois que meu salário caia na conta, na época, a recarga só era feita com dinheiro, então eu me dirigia ao banco tranquilamente, ciente que meu salário tava na conta, sacava o valor da recarga e ia recarregar meu cartão de passagem.
Eu gerenciava as recargas de modo que eu nunca corresse o risco de ficar sem créditos no cartão. Mas um dia, devido a uma grave confusão na família (entre meus irmãos) que não deixou feridos, mas abalou pesado nosso emocional, e ainda me fez usar aquele dinheiro que sempre temos na carteira (sem problemas é pra família), mas eu fiquei zerado, e o emocional me fez esquecer varias coisas naquele dia, incluindo a recarga do cartão e no dia seguinte quando fui pagar a passagem de volta, lasquei-me, estava sem crédito no cartão de passagem e sem dinheiro, meu Jesui e agora?
Sem stress, eu estava com meu cartão de débito, era só conter o constrangimento, pedir desculpas pro cobrador, descer do ônibus, ir numa agência, sacar dinheiro e pronto estava tudo resolvido.

SQN!

Agora é que vai começa meu perrengue!

Vou precisar sair, mas o perrengue Continua na parte 2.
Até logo…

13 Likes

12 Likes

Ansioso pela parte 2! Kkkkkk

5 Likes

Amizade e perrengues financeiros. Parte 2.

Continuando…
Chegando na agência bancária, fui direto pro caixa sacar dinheiro pra recarregar meu cartão e pra voltar a ter aquele trocadinho na carteira, foi neste momento que o perrengue começou, pois ao tentar sacar o valor, dava saldo insuficiente, Oxi como assim se faziam 2 dias que meu adiantamento salarial havia caído na conta e eu não o tinha usado ainda?
Pensei, deve ser um erro no sistema, vou ver meu saldo e pah, só tinha R$ 0,18 isso mesmo, 18 centavos!
Nesse instante, me deu um calafrio, minha alma saiu do corpo e minha mente entrou num looping infinito de pensamentos desconexos que durou uns eternos 10 segundos, até que a alma voltou pro corpo, eu saí do looping e comecei a raciocinar, tirei um extrato e vi que alguém (que não era eu) fez 2 saques na minha conta deixando apenas aqueles 18 centavos. Procurarei atendimento na agência, levaram meu caso pro gerente, quando eu pensei que o homi viria com a solução ele diz: Você só consegue resolver isso na sua agência!
Porra, minha vontade era meter um Hadouken nele, mas não, calmamente eu disse que ele precisava resolver minha situação, que eu tava liso e sem ter como voltar pra casa, mas foi enfático: Só na sua agência mesmo! O miseravi nem se quer tentou me ajudar pelo menos com a passagem de volta.
Saí da agência enfurecido, liguei pra um amigo expliquei o fato e ele fez um Ted pra mim. Daí consegui carregar o cartão e voltar pra casa. Ou seja, uma amizade me salvou de um puta perrengue financeiro. Mas no dia seguinte, o perrengue continuava na minha agência, afinal eu queria meu dinheiro de volta!

12 Likes

Parte 3?

6 Likes

É cada relato!!! Eu gosto de me precaver pra evitar perrengue, principalmente com amigos.

Mas um perrengue que tive com um amigo que lembrei aqui foi um perrengue do bem.
Parecido com o da @LarissaC (com Uber)!

Estava eu e mais 1 amigo (Alô Patrick!) curtindo um Festival de Música Eletrônica no Rio lá em 2017. Tarde e noite toda, pá pum. 4:30 da manhã acaba o festival e meu amigo sem perceber acaba deixando o celular descarregar.

Como eu tinha pouca bateria também no meu celular deixei reservado pois sabia que iria precisar pra voltar pra casa. Ele não me contou nada sobre o celular descarregado e os táxis não aceitavam cartão,tava sem dinheiro em espécie. Detalhe: o táxi de onde estávamos pra casa dele que era em Niterói estava dando mais de 180 reais. Não tava com grana pra emprestar a ele. Só meu cartão de crédito (que ainda não era o Nu) e meu celular em 20% de bateria.

Agora pronto! :joy:

Falei pra ele: amigo, posso até pedir pra ti,mas posso não ir pra casa também. Arrisquei. A gente combinou que depois ele me daria a grana do Uber que pediria pra ele e tá tudo certo. Mas só eu sei o que eu passei a cada 1% de bateria que meu celular descarregava esperando ele chegar em Niterói pra terminar a corrida dele e pedir a minha.

Resumo: Quase fico no meio da Apoteose a míngua com celular descarregado e sem dinheiro pra voltar pra casa. Nos últimos 8% de bateria consegui pegar meu Uber, celular descarregou dentro do carro. Quando cheguei em casa mandei mensagem pra ele e falei: NUNCA MAIS FAZ ISSO CARA!!! EU QUASE FIQUEI NA RUA POR TUA CAUSA :joy::joy:

13 Likes

@LarissaC quem nunca né??
então eu uso o Roxinho desde 2015… amo muito :purple_heart::purple_heart:.
vamos la na História em 2014 eu saí com algumas amigas … na Época elas estavam sem dinheiro para Comprar algumas coisas como lanche refri kkk e sabe o que aconteceu … Sobrou para eu pagar emprestei meu cartão de Crédito q não era o Roxinho
para elas ai elas gastaram 250 reais no Cartão kkkk e ah até hoje nunca pagaram Sobrou para eu pagar … kkkk fiquei muito brava kkkkk . pois não tinha App para ver os gastos do Cartão ai nosssssssssssa se aprovitaram da minha amizade . mais alguns meses depois conheci o Roxinho em Março de 2015 e isso nunca mais aconteceu
quando chegou a Conta do cartão pelos Correios eu disse meu Deusssssssssssssss com vários S sabe como falam aqui no RJ . sou do interior Campos dos Goytacazes

5 Likes

:rofl::rofl::rofl:
Sério devo continuar?
Bora lá então.
Eu Precisei provar para o Banco que não foi eu quem efetuou os saques com meu próprio cartão.
Como assim?
Fui na minha agência, procurei o gerente, contei o fato e ele disse, a forma mais rápida pra resolver isso é você comprovar que não fez os saques e que no momento o cartão estava em sua posse, aí eu me arretei, fui taxativo em dizer que meu cartão havia sido clonado, isso era óbvio, eu tinha certeza e o banco ta dificultando em vez de querer resolver, Como eu ia provar isso, pois num seria mais fácil puxar as imagens da câmera?
O gerente me pediu calma (calma uma porra eu pensei, naquela hora eu tava era muito arretado e nem deixei ele terminar a frase).
E ele disse sim, é mais, porém em casos assim o meliante sempre está de boné ou chapéu e as câmeras não pegam o rosto,(xiiiii, ta dando desculpa de mais, nesse ponto já comecei a pensar que ele tava envolvido no esquema, mas continuei escutando) então eu posso pedir as imagens mas certamente não vamos ver o rosto, daí ele fuça no computador, me disse a hora e a agência que 2 saques foram feitos e me perguntou o que eu fazia naquele momento, eu respondi que tava trabalhando e tenho como provar, basta, trazer meu espelho de ponto pra você.
Pronto, ele disse, ta resolvido! Peça a sua empresa seu espelho de ponto, tire cópia da sua identidade, cpf e cartão, autentique em cartório e traga pra mim, aí eu, opa e quem vai arcar com despesa do cartório?
Você será reembolsado, disse ele…
Eu fiz o que ele solicitou, também meu cartão teve que ser destruído e outro foi solicitado, minha senha foi trocada e levou 5 dias úteis pra meu dinheiro retornar pra conta, porém o valor que voltou era maior que antes, então liguei pro gerente e disse que haviam colocado dinheiro a mais, bem além do reembolso, ele disse não se preocupe, considere como uma cortesia, eu disse, opa mas banco não faz cortesia, que garantia eu posso disso?
Olhe no estrato, se estiver como ajuste ou algo semelhante está tudo certo.

Pronto @Elves, parte 3 editada.

10 Likes

:rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl: parecendo o meu qdo fui sacar o dinheiro e n tinha nem 0,18 centavos kkkkk

7 Likes

kkkkkkk @Kleber_Vieira1 e a Minha história q contei acima kkk