❰BLOG❱ . O que é FGC e como funciona?

#1

O Fundo Garantidor de Crédito protege o patrimônio de clientes que investem em até R$250 mil caso o banco ou instituição financeira quebre. Entenda.

Da mesma forma que existe seguro para carros, casas, seguro de vida e até mesmo de celular, existe um seguro para investidores, o Fundo Garantidor de Crédito. Mas, afinal, o que é o FGC e como ele funciona para quem tem o dinheiro depositado em contas ou aplicado em investimentos?

O FGC é uma entidade privada e sem fins lucrativos que protege os investidores que colocam seu dinheiro em instituições financeiras associadas a ele – ou seja: protege o patrimônio dos investidores do patrimônio das instituições.

Essa proteção acontece em casos de “intervenção e liquidação extrajudicial” e quando o Banco Central reconhece o estado de “insolvência” da instituição.

Em outras palavras: se um banco quebrar, os clientes que investem em produtos financeiros dele não perdem todo o seu dinheiro – o FGC garante a devolução dos valores investidos até R$250 mil.

De onde vem o dinheiro do FGC?

Os bancos e instituições associados ao FGC colaboram mensalmente com o fundo – com 0,01% do total de depósitos feitos nos investimentos. Portanto, o patrimônio do FGC vem dos próprios bancos.

Quais investimentos são cobertos pelo FGC?

Não são todos os investimentos que contam com essa cobertura, e nem todas as instituições financeiras do país que oferecem cobertura do FGC. Para isso, elas têm que:

  • receber depósitos à vista, em contas de poupança, ou depósitos a prazo;
  • realizem aceite em letras de câmbio;
  • captem recursos mediante a emissão e a colocação de letras imobiliárias, letras hipotecárias, letras de crédito imobiliário e letras de crédito do agronegócio – ou seja, ofereçam esses investimentos aos clientes;
  • captem recursos por meio de operações compromissadas tendo como objeto títulos de emissão de empresa ligada – ou seja, permite que os clientes invistam em títulos emitidos por essas empresas.

Os investimentos que têm a cobertura garantida pelo FGC são:

  • Depósitos à vista ou sacáveis, mediante aviso prévio – como as contas-corrente;
  • Depósitos de poupança;
  • Letras de câmbio (LC);
  • Letras hipotecárias (LH);
  • Letras de crédito Imobiliário (LCI);
  • CDBs e RDBs.

Vale ressaltar: o investidor não paga nada para a ter a cobertura do FGC.

Existe um limite de cobertura para os valores investidos, de até R$ 250 mil por CPF do titular do crédito – ou seja, a pessoa em cujo nome o crédito está registrado – e por banco.

No caso de contas conjuntas, o valor da garantia é limitado a R$ 250 mil ou ao saldo da conta – se for inferior a esse limite – dividido pelo número de titulares.

Por exemplo : se você dividir a conta com mais uma pessoa, cada um receberá R$ 125 mil de cobertura – caso o saldo seja de R$ 250 mil ou mais. Se o saldo for de R$ 50 mil, por exemplo, cada um recebe R$ 25 mil.

Fundos de investimento têm cobertura do FGC?

Fundos de investimentos não são cobertos pelo FGC. Isso porque os fundos de investimentos não são, por regulamentação, uma instituição financeira – normalmente, eles são administrados por uma. Por isso, o patrimônio dos fundos não se confunde com o patrimônio dos bancos, mesmo que o clientes invista através destes.

Planos de previdência, sejam eles VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) ou PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) também não entram na cobertura.

Fonte: https://blog.nubank.com.br/o-que-e-fgc-e-como-ele-funciona/

5 Likes
Agora o Nubank tem FGC! Já viram?
#2

Para complementar o conteúdo, selecionei uma dúvida recorrente quanto a existência ou não do FGC na Nuconta. Segue resposta da Central de Ajuda: :slightly_smiling_face::+1:

Existe algum risco em colocar meu dinheiro na NuConta?

Além de ter rendimento diário, automático e superior à poupança, a NuConta é uma aplicação classificada como de baixo risco.

Isso ocorre porque a NuConta é uma modalidade de conta chamada “Conta de Pagamento”. Nesta modalidade de contas, o dinheiro depositado fica separado do patrimônio do Nubank e só pode ser usado para aplicações em Títulos Públicos Federais. Ou seja, esse dinheiro não pode ser emprestado para terceiros ou aplicado em investimentos de risco, por exemplo.

Por isso, o risco na NuConta é similar ao de uma aplicação no Tesouro Direto - renda fixa, pós-fixado, garantido pelo Governo - e dispensa outro tipo de garantia, como FGC.


Tópicos do @Cruz

4 Likes
#3

Muito bom! :clap:t2: