❰BLOG❱ . Regra 50-15-35 para juntar dinheiro

Regra 50-15-35: ela pode ajudar a juntar dinheiro?
Ela é um jeito simples de organizar as finanças - mas esse modelo de orçamento não é ideal para todos. Entenda se ele funciona para você.

“Organize as finanças com a regra 50-15-35”; “Conhece a regra 50-15-35?”; “Administre seu dinheiro com a regra 50-15-35”. Essas são apenas algumas das chamadas comuns encontradas sempre que alguém busca na internet por formas de juntar dinheiro e ter uma organização financeira melhor. Mas, afinal… O que é a tal regra?

A regra dos 50-15-35 consiste, basicamente, em uma divisão da renda mensal em três categorias diferentes: gastos essenciais, prioridades financeiras e estilo de vida.

Cada “número” da regra indica a porcentagem da renda que deve ser destinada para cada uma das categorias: 50% para gastos essenciais, 15% para prioridades financeiras e 35% para estilo de vida.

Trata-se de um método simples para organizar o orçamento – mas que só funciona seguido à risca se você não tiver grandes pendências financeiras.

Abaixo, entenda melhor como funciona a regra e veja se ela pode ser boa para o seu caso.

50% para seus gastos essenciais

Os gastos essenciais são, basicamente as despesas fixas que as pessoas têm todo o mês: aluguel, contas de água e luz, plano de saúde, transporte público, gasolina para o carro e mensalidades de escola são algumas delas.

Seguindo a regra 50-15-35, os gastos essenciais podem ser até 50% do seu orçamento. Sendo menores do que isso, você consegue remanejar o que resta entre suas prioridades financeiras e gastos com estilo de vida.

Mas por que até 50%?

Se suas despesas básicas consumirem mais da metade de sua renda, pode ser um sinal de que é necessário rever seu padrão de vida. Afinal, as demais “categorias” não podem ser deixadas de lado.

15% para suas prioridades financeiras

As prioridades financeiras podem ser duas: quitar as dívidas ou apenas economizar, caso você não tenha nenhuma pendência financeira.

Se o seu caso é o segundo, você pode poupar para uma viagem ou para fazer uma compra de valor mais alto, como para criar uma reserva de emergência ou planejar seu futuro – como investir em um plano de previdência privada, por exemplo.

Nesse caso, uma boa estratégia pode ser aumentar essa porcentagem para não deixar de criar uma reserva financeira ou investir.

Essa pode parecer uma categoria “dispensável”, mas é exatamente o contrário: ela é de extrema importância, pois é com ela que conseguirá guardar dinheiro.

35% para estilo de vida

Os 35% restantes de sua renda mensal são, segundo essa regra, voltados para gastos relacionados a seu estilo de vida. Isso inclui, por exemplo, gastos com restaurantes, baladas, academia, compras e quaisquer outros hobbies que você tenha.

Vale ressaltar: o ideal é que essas despesas com estilo de vida venham depois de quitar as dívidas e lidar com suas prioridades financeiras do mês – ou seja: quando as duas primeiras categorias já tiverem sido “resolvidas”. Por isso eles são os gastos mais fáceis de serem cortados quando necessário.

Exemplo da regra 50-15-35

Supondo que seu salário seja de R$ 2 mil. Seguindo a regra, você deverá organizar seu orçamento da seguinte maneira:

  • Destinar R$ 1 mil (equivalente a 50%) para pagar suas contas essenciais, como aluguel, contas de água e luz, plano de saúde, etc. Basicamente, as despesas fixas que você têm todo o mês. É importante que elas não ultrapassem 50% do seu salário;
  • Destinar R$ 300 (equivalente a 15%) para suas prioridades financeiras; são prioridades financeiras, por exemplo: suas dívidas, caso esteja endividado; e sua reserva de emergência ou investimentos, se não tiver nenhuma dívida para quitar;
  • Destinar R$ 700 (equivalente a 35%) para os gastos relacionados a seu estilo de vida – restaurantes, bares, cinema, compras, etc.

Por que esse método pode me ajudar?

São 3 os objetivos da regra dos 50-15-35:

  • garantir que você vai reservar parte da sua renda,
  • permitir que você veja com clareza para onde vai o seu dinheiro e
  • priorizar suas despesas.

Em resumo, ele serve para ter controle financeiro e um orçamento bem planejado.

Vale a pena pra todo mundo?

O primeiro passo para começar a seguir a regra dos 50-15-35 é analisar seu orçamento – afinal, nem sempre será possível aplicá-la de imediato.

Por exemplo: se você tem muitas dívidas, destinar somente 15% de seu orçamento para pagá-las não vale a pena; é mais vantajoso buscar outras formas de planejamento que te ajudam a primeiro quitar o que deve, para só depois aplicar essa regra.

Veja aqui como começar a quitar as suas dívidas.

Fonte: https://blog.nubank.com.br/regra-50-15-35-financas/

21 Curtidas

Segue imagem para complementar o conteúdo: :slightly_smiling_face::+1:


Fonte: Almanaque SOS

9 Curtidas

Ótima dica @Cruz

1 Curtida

Ótimas dicas @Cruz

Achei sua dica incrível! Acho que poderia servir pro que ando querendo fazer, pois seria uma poupança muito a longo prazo, mas muito mesmo… Então teria que rever os gastos com o 50 e 30.

Que massa! dica muito boa fazendo certinho da mega certo!:call_me_hand:

Isso sim é uma dica de valor…

Muito bom, @Cruz!

:hugs::money_mouth_face::clap::clap: ai SIM @Cruz

Ja usei durante um bom tempo e me ajudou muito a saber onde eu estava gastando demais, passei a anotar e organizar meus gastos, e percebi onde eu estava errando… hoje consigo administrar tranquilo e naturalmente faço a regra 50, 35 e 15, com certa flexibilidade é claro.

2 Curtidas

Postagem sensacional como sempre @Cruz :clap::clap::clap::clap::clap::clap::clap::clap:

Eu utilizo 50-30-20.

50% para gastos fixos, 30% para gastos variáveis e 20% para investimentos.

1 Curtida

Exato, @Heverton. Esses valores podem se ajustar de acordo com a fase da vida. Segue imagem do seu caso, 50/30/20: :slightly_smiling_face::+1:


Tópicos do @Cruz

3 Curtidas
3 Curtidas

Sempre tem ótimas dicas no blog…

Muito boa a dica @Cruz

@Cruz, uma dúvida sobre essa regra…
Suponto que eu tenha uma renda de R$ 1.000 e eu siga essa regra dos 50-15-35.
Pegando o 50 como exemplo, que seria indicado para pagar as contas, e o total da minha conta não chegasse aos 500,00 que correspondem a 50%, o que eu faria com o restante do dinheiro?

Exemplificando:
Recebo 1000, gasto 350 com contas, sobrariam 150.
O que eu faria com esses 150 que sobraram? Invisto? Guardo? Realoco pra outra coisa?

Bom dia @garritanoo.

Vai depender da sua necessidade. Você pode guardar, pode investir (aí você estaria realocando para os 15% automaticamente). Poderia realocar para o estilo de vida. Vai mais da sua vontade mesmo. Não há regra fixa quanto a isso.

Boa noite @DaniloLutz!

Eu pensei nessas possibilidades, mas queria uma confirmação.

Obrigado! :+1: