E o governo nos abusando mais uma vez

Bom dia, amigos. Eu estava pensando a alguns dias atrás e reparei que em investimentos como os títulos públicos, assim como o da conta de pagamentos da Nubank, nós emprestamos dinheiro para o governo, e em troca disso ele nos retorna um rendimento de alguma porcentagem (no nosso caso 100% da taxa DI) sobre o valor investido, até aí tudo bem. Mas o que não faz sentido é o próprio governo vir cobrar IOF e IR deste dinheiro. Vocês me compreendem? Alguém sabe explicar o porquê disso acontecer?

4 Likes

Concordo com você que sentido não tem nenhum, é só uma forma deles abocanharem mais, o FGTS é bem parecido com o Titulo Publico já que é usado para financiamento pelo Governo, mas não incide em impostos, talvez por ser obrigatório. De toda forma, só podemos exigir uma Reforma Tributária justa que elimine essas distorções.

1 Like

Se eu estiver enganado por favor me corrija pra não continuar achando errado rsrsrs

Mas acredito que essa cobrança seja apenas no primeiro mês do dinheiro investido (ou parado na conta) caso você tire antes de 1 Mês de “aniversário” o IOF e IR serão cobrados, a partir de 1 Mês não mais. Eu ouvi isso de uma pessoa, porem não sei se minha interpretação da informação foi correta.

1 Like

O IOF sim depois de um mês parado ele não é cobrado sobre aquele valor, já no caso do IR continua sim, mas de forma regressiva, quanto mais tempo parado menos será a % cobrada.

2 Likes

Obrigado por complementar a informação que já havia recebido!

Concordo com o abuso do governo e não só nesta questão!

1 Like

Concordo que é necessário a reforma tributária além de outras reformas, mas não sei se “abuso” é a palavra certa,pois você pode investir na poupança que é isento desses impostos, mas ainda assim a nuconta é mais vantajosa, além de poder investir em renda variável ( maior rendimento porém maior risco)

@Wagner_Rallo_Ferreir Sim, é um abuso. Pois independentemente de haver outras formas de investir nosso dinheiro, esta, que escolhemos usar, deveria ser justa e fazer o mínimo de sentido.