Portabilidade eletrônica via portal B3

A partir de dezembro de 2023 terminam os testes de portabilidade de ações e outros ativos via portal B3 pra investidores selecionados. Até o final do mês todos os clientes de corretoras habilitadas pro teste poderão fazer a portabilidade de ativos para outras corretoras de maneira fácil, com simples cliques.

Até então, somente XP, BTG, Safra e CM Capital estavam habilitados pra deixar a vida das pessoas melhor. Alguém sabe se NuInvest já se habilitou?

13 curtidas

Que maravilha, espero que realmente dê certo e que outras corretoras entrem nessa. Obrigado por compartilhar a notícia @CMg!

13 curtidas

Teve muita influência a pandemia nessa modernização, a depender da B3 estávamos no burocrático até hoje.

13 curtidas

Já tentou contatar a Nuinvest para saber?

Atendimento Nuinvest

4 curtidas

Só falta eles liberarem a portabilidade de tesouro direto de forma eletrônica.

2 curtidas

E coloque burocrático nisso!

2 curtidas

Muito mais prático! Quando fiz a portabilidade do BB pro banco Inter e depois do banco Inter pra nuinvest foi uma chatice. Tive até que ir em agência preencher fórmulario (coisa do BB) haha uma prática da antiga Mesopotâmia.

1 curtida

Antes da pandemia todo mundo era obrigado a autenticar assinatura em cartório pras transferências de custódia. Nem assinatura digital era aceita pelas corretoras.

3 curtidas

A transferência de custódia que eu fiz não teve autenticação de assinatura em cartório.

1 curtida

Acho que foi pq vc foi a uma agência. XP, por exemplo, exigia, mas o formulário era feito pela internet e entregue por e-mail.

2 curtidas

No momento, conforme indicado no portal da B3, somente às corretoras indicadas na imagem estão habilitadas para transferência de custódia através do portal da B3

Vale observar, que essa transferência é somente entre corretoras 100% nacionais (que operam somente no Brasil), não valendo entre corretoras do Brasil e do exterior (corretoras do exterior costumam cobrar, em Dólar, pela transferência de custódia).

3 curtidas

Que bacana! Isso vai facilitar bastante quando quisermos fazer portabilidade entre corretoras.

5 curtidas

Investimentos no exterior deveria ser feito somente através de corretoras brasileiras, se alguma corretora de fora quissesse oferecer seus produtos aqui, deveria ter um escritório de representação em solo nacional. Seria bem mais seguro para os investidores nacionais que precisam de um mínino de segurança.

2 curtidas

Inter, Avenue/Itaú, XP, Bradesco e companhia tem corretoras nos EUA. Mas a maior segurança é a corretora ser membro da FINRA e da SIPC. Você pode investir nos EUA mesmo que a corretora não tenha representação aqui. As leis e regras de investimentos nos EUA são muito mais estáveis e dão maior segurança do que as regras brasileiras. A SEC também dá mais segurança jurídica do que a CVM no Brasil. A segurança jurídica nos EUA e a estabilidade da democracia é muito maior que no Brasil e por isso todo mundo deveria deixar uma parte do dinheiro lá fora por segurança.

2 curtidas

Investimentos no exterior podem ser feitos através de corretoras brasileiras. Para investir no exterior, o investidor possui quatro principais opções:

  1. A melhor delas é abrir conta em uma corretora fora do país;
  2. É possível investir no exterior através de Fundos de investimentos;
  3. É possível investir no exterior através de ETF’s (Exchange Traded Funds);
  4. É possível investir no exterior através de BDR’s (Brazilian Depositary Receipts).

Porém, nas opções 2, 3 e 4, o investimento é feito de maneira indireta e o rendimento não é o mesmo que investir diretamente no exterior (opção 1). E vale lembrar, que nesses casos, seu patrimônio estará em Real e não em Dólar (proteção em Dólar).

As corretoras brasileiras não podem investir diretamente nas bolsas estrangeiras e as corretoras estrangeiras não podem investir diretamente nas bolsa brasileira. Essas são normas de cada pais.

Por exemplo, para uma corretora brasileira pode operar na bolsa dos EUA, ela precisa obrigatoriamente abrir uma corretora nos EUA, comprar uma corretora dos EUA ou fazer parceria com uma corretora dos EUA. O mesmo vale para corretoras estrangeiras operarem na bolsa brasileira.

Já em relação a segurança, as bolsas americanas são muito mais seguras que a brasileira. Eles tem proteção pela FINRA (Financial Industry Regulatory Authority), SIPC (Securities Investor Protection Corporation) e SEC (U.S. Securities and Exchange Commission).


Links Extras:

  1. FINRA Financial Industry Regulatory Authority
  2. SIPC Securities Investor Protection Corporation
  3. SEC - U.S. Securities and Exchange Commission
3 curtidas

Poderia haver convênios, parcerias em corretoras; a nacional cuidaria da parte burocrática junto ao governo; a internacional, dos investimentos.

Como explicado, não é possível investir diretamente nos EUA (ou em qualquer outro país) pois a legislação dos países não permite isso (é uma maneira de garantir a segurança do sistema financeiro do país e evitar especulações em massa).

Várias corretoras brasileiras possuem parceria com corretoras dos EUA para permitir investimentos diretamente na bolsa americana, porém, o investidor precisa enviar dólares para a conta de investimentos (que fica nos EUA);

Se uma corretora brasileira deseja operar diretamente na bolsa dos EUA (sem intervenção de outra corretora), basta abrir uma corretora lá. A bem da verdade, as financeiras brasileiras (bancos e corretoras) relutam em abrir corretoras nos EUA ou Europa, pois nesses lugares as leis e a fiscalização são mais rígidas.

2 curtidas

Exatamente. Essa deveria ser a regra, o governo quer controlar tudo, que o faça da maneira clara e transparente e mais fácil para o investidor brasileiro.