Saúde Financeira: Vamos falar sobre Preguiça

Estava lendo agora no Chrome uma reportagem sobre os serviços de Streaming (Netflix, Amazong Prime e semelhantes), e me veio a vontade de compartilhar algo que pode ser relevante para você.

Eu sou adepto da crença que uma boa saúde emocional impacta positivamente em bons resultados financeiros. E, conhecendo-se a si mesmo, mais e melhor, você pode aplicar isto em suas escolhas no seu relacionamento com o dinheiro.

Hoje escrevo sobre a questão da Preguiça, Procrastinação, e como as empresas sabem usar este recurso para gerar dinheiro. De fato, elas contam com a preguiça das pessoas para garantir ganhos recorrentes.

Alguns fatos relevantes para serem considerados:

  • A função primordial de toda empresa é o lucro! :wink:

  • Grandes empresas investem em pesquisas na área da psicologia e em como atrair mais clientes, fidelizar e, consequentemente, aumentarem o lucro! :thinking:

  • Não existe almoço grátis! :grin: (frase popular no mercado financeiro)

Não escrevo para fazer juízo de valor aqui. É certo? É errado? É ético? Não é justo? Não é minha proposta proposta tentar responder estas perguntas.

Escrevo para trazer ao seu conhecimento o que acontece, e você, considerando o seu melhor interesse, aplica ou não o que foi compartilhado.

Vamos ao que interessa… :grin:

Ah, essa tal Preguiça… :drooling_face:

O que você faz quando está com preguiça? :thinking: Nada! :rofl:

Sabendo disso, hoje é muito comum as empresas facilitarem o acesso aos seus serviços e produtos. Isto fica muito mais evidente no mundo online, onde, provavelmente, você vai ter boa parte dos seus dados já gravados (endereço, email, telefone, senhas e coisas do tipo).

É fácil (grave bem esta palavra, ainda vai aparecer mais algumas vezes por aqui :wink:) criar perfil em praticamente qualquer site e aplicativo usando os dados do Facebook ou Gmail.

Quem nunca fez o cadastro em um site ou app porque era fácil, tinha uma promessa interessante, e depois se arrependeu? Só para descobrir depois que descadastrar ou cancelar o serviço era difícil e complicado.

E é aí que mora o “pulo do gato”: as empresas facilitam o acesso e dificultam a saída.

Fácil… Difícil… :thinking:

Qual será o mistério? :roll_eyes:

Por natureza, buscamos facilidades e evitamos dificuldades. Simples assim.

Um exemplo de hábito alimentar comum é comer “comida lixo” ao invés de comida saudável. O que dá mais trabalho: preparar uma salada ou suco de fruta, ou colocar comida congelada no microondas e beber um refrigerante?

Resumo

Comida Lixo ou junk food como é a expressão nos países de língua inglesa, é o termo usado para comidas de fast food ou baixo valor nutricional, como comida congelada por exemplo.

E somado a esse fato a questão da relevância tudo faz mais sentido.

O que não é relevante, não é importante. Me senti o sábio agora! :face_with_monocle:

Quando as empresas divulgam seus produtos ou serviços e querem que as pessoas façam a experiência, atraem com uma promessa interessante, acesso facilitado e com um custo zerado ou irrelevante. E mesmo após o período de experiência, o valor tende a ser “pequeno”.

Este valor pequeno é intencional, pois é fácil de passar despercebido no gerenciamento das contas do mês. E afinal, é tão pouco, não vale nem o esforço, vai que um dia… E o dia nunca chega.

E para alguns o dia chega. Finalmente você quer cancelar sua assinatura. Neste momento descobre que ao invés de um simples clique, você precisa navegar em várias páginas não muito amigáveis na internet, que vão redirecionando de uma para outra, com confirmações, até que por fim, você desiste.

Não precisa muito, com apenas 3 links a maioria das pessoas desistem de cancelar e acham muito complicado. Preferem pagar por um serviço subutilizado para evitarem dor de cabeça.

E com muitas empresas garantem seus lucros.

Entendendo o padrão.

Fazemos mais, por natureza, o que é mais fácil, não o que é necessariamente melhor.

Fazemos menos, por natureza, o que é mais difícil, não o que é necessariamente pior.

Aplicações Práticas

Na Vida Financeira:

  • Resista as tentações dos convites com super promessas. O grátis de hoje, sai caro amanhã.

  • Verifique o pagamento da fatura do seu cartão de crédito. Talvez descubra assinaturas “perdidas” feitas e com pagamentos recorrentes que não se lembrava, e que já não são relevantes para você.

  • Sempre que possível, verifique se é tão fácil cancelar o serviço como é fácil adquirí-lo, antes de fazer a assinatura.

Na Vida Pessoal:

  • Facilite o que você quer fazer mais. Como você pode tornar o que você quer mais fácil?

  • Dificulte o que você quer evitar/parar de fazer. Como você pode tornar mais difícil esse hábito que você quer evitar/parar de fazer?

Exemplos.

Se você quer aprender a tocar violão, e deixa seu violão no maleiro no alto do guarda-roupa, e sempre que vai treinar precisa pegar uma escada, quais são as chances de você praticar com frequência durante a semana?

Melhor estratégia: compre uma base para violão, coloque do lado da cama.

Se você quer ver menos televisão e deixa a TV na sala e o controle no braço do assento do sua poltrona favorita, quais são as chances de você ver menos TV?

Melhor estratégia: remova as pilhas do controle, e peça alguém para esconder o controle pela casa. Você vai ficar entendiado de ter que levantar da poltrona toda vez que quiser mudar de canal ou mudar o volume e vai acabar “desistindo de ver tv”.

Recomendação de leitura

Aproveito para recomendar um livro muito interessante que, entre vários assuntos relevantes, vai tratar do assunto também.

Book

Dentro do livro, Shawn Achor vai abordar sobre a questão da energia de ativação, que é uma forma de aplicar estes princípios já mencionados.

E deixo aqui a palestra dele no TED Talk para que você tenha a oportunidade de conhecer sobre o autor, caso ainda não conheça.

Então é isso. :grin:

#ficaadica :wink:

13 Curtidas

@Rod_Katsumata muito bem abordado e ótimo tema!

Almoço não é grátis e as vezes vem bem caro! Centralidade na mente de querer fazer e realmente fazer, é uma distancia que precisa ser vencida a preguiça nesse caminho!

Hoje tivemos na empresa um workshop sobre “empatia” o quanto está relacionado a “emoção”… e como isso afeta o nosso rendimento no trabalho e como a nossa vida financeira está ligado a isso.

Já vou deixar anotado a recomendação do livro, obrigado!

:love_you_gesture:t2: :purple_heart:

1 Curtida

Gosto muito de seus post, sempre trazendo informação precisas. Parabéns.

1 Curtida

Essa tirinha define minha relação com a preguiça.
unnamed

5 Curtidas

Muito bom texto!!

Gostei muito!

1 Curtida

Grande @Emily_Cardoso! Seja bem-vinda à comunidade.

Feliz que foi proveitoso para você.

Depois compartilha o que mais gostou, e como você pretende aplicar o que aprendeu, se você se sentir à vontade.

Sucesso. :trophy:

1 Curtida

Texto muito bom, parabéns :clap: :clap: :clap: :clap:

2 Curtidas

Só por curiosidade…

Coincidência ou espionagem… :face_with_monocle:

No mesmo dia que eu postei este tópico eu recebi um email do Netflix mostrando o quanto é fácil assinar o streaming.

Detalhe que nunca recebi uma mensagem do Netflix antes deste tópico. :thinking:

:rofl::rofl::rofl: eu toda nessa tira… espero ter mais controle sobre ela…

2 Curtidas

Se você navegou no Chrome fora de uma guia anônima, logado na sua conta do Google e no que você estava lendo havia algo (propaganda) da Netflix, por exemplo, o navegador ler todo o contexto e te envia e-mails de marketing. Caso contrário é só coincidência mesmo rsrs.

O que eu fiz foi escrever este post… :wink: , depois recebi a propaganda. :thinking:

1 Curtida

Grande @gabydias_ss , seja muito bem-vinda!

Entendo a situação, de alguma forma, de um jeito ou de outro, estamos todos no mesmo barco… huauhauha Sempre tem alguma coisa que a gente deixa para depois.

A questão é em quais áreas nós fazemos isto, em quais não… e fazer melhores escolhas.

Agora se precisar de ajuda para melhorar este controle, será um prazer ajudar. :grin:

Não sou religioso nem nada, mas isso me lembra a lenda sobre a conversão de Expedito de Melitene, chamado pela Igreja Católica de Santo Expedito (o santo das causas urgentes), onde um Corvo “gritava” para ele: Cras! Cras! (amanhã em latim), e ele pisando na criatura falou: hodie! (hoje). Eu procuro sempre lembrar dessa história quando penso em deixar um problema pra ser resolvido depois, ou como diria Homer Simpson deixar para o “Homer do futuro” resolver, pois penso que o “Rogério do futuro” já terá seus próprios problemas e não me custa nada ajuda-lo resolvendo os meus problemas para que eles não se tornem problema dele.

1 Curtida

Ah tah… Porque você falou que estava no Chrome.

Daí é quando acontece a jogada. Mas vai ver foi coincidência mesmo né?? :joy::joy:

1 Curtida

:rofl: :rofl: :rofl:

Mais um excelente texto! :clap: :clap:
E uma coisa que deriva disso, a meu ver, são pessoas abrindo mão de fazer coisas e delegando tudo a outros ou, até, a um aplicativo. Coisa típica na linha de investimento é a pessoa dizer: “tenho 10 mil, qual aplicação vc acha melhor?”
Com isso, ela se esquiva do trabalho de estudar investimento, aprender a ser dona da sua decisão, evoluir intelectualmente e fica refém do conhecimento de outro. E se der erro: “ah, mas foi ele que sugeriu, eu pensei que ele sabia”.
É o que Kant chamava de maioridade e menoridade. O quanto eu sou dono das minhas decisões (para isso tenho que correr atrás do conhecimento e dá trabalho - maioridade) e quanto eu delego isso a outros, para que eles analisem e me entreguem a solução fácil, pronta.

E como é difícil enxergar a azia que aquele almoço grátis dará…

2 Curtidas

Grande @Jotapb, esse seu comentário para mim vale um WOW! :trophy:

Creio que, se esse conceito for extraído e aplicado, o céu é o limite. :cloud::rocket: :cloud:
E este princípio é benéfico em qualquer área da vida. :grin:

2 Curtidas