Nulovers e Nuhaters: quem são?

Para começar, quero deixar claro que respeito ambas as correntes, apesar de não entendê-las.

Entendo também que o marketing é um poderoso instrumento e que nas últimas décadas demonstrou uma capacidade assustadora de transformar pessoas e empresas - para o bem ou mal, a depender da opinião individual. Entretanto, enxergo bancos, padarias, floriculturas como meras pessoas jurídicas e, por isto, não consigo alcançar a motivação de quem dispensa tempo, energia e algumas vezes, como podemos facilmente perceber em alguns tópicos, por aqui, desafetos - em maior ou menor grau- motivados pelo “amor/ódio” a alguma pessoa jurídica.

E, por causa dos motivos acima, gostaria que vocês me ajudassem a entender esse estranho (pelo menos para mim) fenômeno do “amor/ódio” a algumas PJs, como o Nubank, por exemplo: o que você acredita que motiva tanto aqueles que amam ou odeiam o Nubank?

Agradeço antecipadamente àqueles que se dispuserem a colaborar com minha pesquisa informal. :wink:

3 Curtidas

Uns amam o nubank pelo atendimento humanizado , atendimento divertido e construtivo bom limite boa conta ótima comunidade e muitos outros motivos ,
Outros odeiam , limite baixo não entender que a instituição trabalha pra ajudar as pessoas a manusear seu dinheiro da melhor forma, não entender os motivos dos bloqueios da conta por não lerem o contrato entre outros

17 Curtidas

meme pensandonu

Primeiramente, gostaria de deixar claro que meu comentário se restringe ao conhecimento que tenho desta comunidade apenas e não fora dela.

Pra tudo no mundo existe “positivo e negativo” / gosto e não gosto / uso e não uso… e por aí vai!

Não acredito que alguém ame o Nubank ou odeie! (Como pessoa)
Acredito que muitos apreciam certos serviços ou características da instituição.
Assim que não recebe aquilo que deseja, passam a ficar descontentes - a crítica é inevitável.

Meme-MesaNubank

Por exemplo, eu gostava de muitos serviços de outras instituições, mas ao passo que fui notando as despesas desnecessárias, passei a optar por outra instituição.
Não critico a outra instituição - Apenas não uso o serviço dela. Mas tem gente que vai lá e põe a boca no trombone. Reclama, chora e esperneia até ser ouvido ou silenciado pela indiferença dos demais!

Frequento a comunidade (como leitor) desde 2019 e é visível que alguns que antes “amavam” o nubank, deixaram de ama-lo depois que perderam benefícios ou quando pararam de receber aumento de crédito, por exemplo.

meme-amor e odio

O AMOR e ÓDIO, que você acredita ter notado, podem ser também pelas mesmas coisas.
Por exemplo:

  • R$50 de LIMITE
    Tem cliente que amou receber!
    Tem cliente que odiou receber!
    Tem cliente que queria ao menos ter recebido isso e não tem!

Agora fica fácil entender:

O GOSTO E INTERESSE PESSOAL MOTIVA!
E você sabe: cada um tem o seu!

meme-eu-meu

Agora…
Quanto aos Haters…
Eles não odeiam e nem amam o Nubank.**
Eles apenas si divertem com ele!

Disseminam argumentos extremamente negativos e críticas com o “falso interesse” de construir uma instituição melhor. Quando na verdade (no fundo, no fundo) eles querem mesmo e ver o parquinho pegar fogo!

Um falso moralista, pregando a “moral e os bons costumes”, mas adota padrões diversos em sua vida.

Enfim, até os Haters tem seu gosto e interesse pessoal, notou?
Isso motiva as pessoas.

. . . . . . . . . . . . . .

E pra concluir minha contribuição a sua pesquisa, gostaria de citar:
É esse interesse pessoal que move a comunidade.

  • Alguns querem resolver seus problemas!
  • Outros desejam ajudar a resolve-los.
  • Outros querem si divertir a custa dos problemas dos outros.

Ao final dessa história toda,

  • alguns NOBRES assimilam todos esses comentários …
  • separam as partes mais importantes (até do dialogo dos haters, acredite)…
  • refletem sobre isso…
  • e transformam isso em melhorias para a instituição!

Respeitar as correntes é o primeiro passo.
O segundo passo é observa-las por longos períodos… estuda-las no silencio.

Faço isso desde 2019. Mas somente no final de 2020 tive coragem de participar dessa selva roxa!

Observar e interagir, é o primeiro passo para entendê-las.

Mas lembre-se:
"Há tempo para ouvir e falar. E há tempo para ficar calado!"

Forte abraço! :sunglasses: :v:

20 Curtidas

Esse @IsaacFerreira arrasa nas palavras bixo


Não digo que haja amor, e sim uma paixão ou afinidade entre o Banco x Cliente, e o ódio!

O ódio vem por expectativas fracassadas, como aqueles que tem muito dinheiro, muitos cartões, muitos Scores, mas o Nubank trata como um cliente normal iniciante, e os rei do balacubaco não aceita, aí já vem o sentimento negativo

Já o ótimo atendimento, expectativas superadas e reconhecimento nas plataformas trás a afinidade, eu passei tempo com meu cartão de débito e sempre acompanhei notícias do Nubank, vocês tem noção do quão é bom fazer tudo pelo celular? cê é loko…

Eu acompanho muito as plataformas digitais do Nubank, não é atoa que criei um Twitter só pra ver os memes e repost dos clientes. (de vez em quando dou até um help lá)

Digo; tudo depende das expectativas, mas existem uns que vai por ser fã, igual euzinho, fã da tecnologia ter tudo em mãos :wink:

16 Curtidas

Há um tempo atrás conheci um cara muito inteligente aqui na comunidade, especialista em Marketing e Comunicação Social, atualmente ele mora em Madri, o cara é fera mesmo, quem conhece ele sabe bem do que estou falando. Um dia assisti no YouTube um vídeo onde ele participa de uma bate papo com outros dois profissionais, confesso que o tema da conversa não me lembro ao certo, porém teve uma frase dita por ele que me marcou, não lembro com exatidão das palavras utilizadas, mas era algo nesse sentido:

“Cada vez mais as marcas estão se tornando pessoas e as pessoas se tornando marcas.”

Eu achei genial, pois é exatamente isso que estamos vivendo. A parte de pessoas estarem se tornando marcas não me agrada, gosto da identidade que é individual e única em cada ser humano. Porém a parte que diz que cada vez mais as marcas estão se tornando pessoas me agrada. Aquela história de conexão sabe?! Sentir que podemos ser mais do que meros cliente ou números, sentir a proximidade que pode haver mesmo eu sendo apenas um dentre milhões de outros cliente.
Eu não sou especialista em marketing nem nada, provavelmente quem for saberá explicar isso tudo, eu só posso falar por mim, e digo que eu me sinto bem em ser cliente da marca Nubank, tão bem ao ponto de ser sim fã da marca.

16 Curtidas

Creio que dificilmente conseguirei discorrer tão bem sobre esse tema quanto os colegas acima. Mandaram bem pessoal! :clap:

Se você for dividir as pessoas somente nessas duas categorias que você citou, eu claramente sou um NuLover. Mas o que isso significa?

Ao meu ver, eu sou um NuLover pois eu gosto dos produtos ofertados pela empresa e de sua filosofia e valores. E gosto o suficiente para ser cliente, recomendar os produtos e frequentar esse espaço aqui diariamente, tentando contribuir com a empresa e ajudar as pessoas que precisam.

Tem gente que acha esse comportamento nocivo. “Onde já se viu gostar de uma empresa? Empresas não são sua família”. E realmente não são mesmo, mas é perfeitamente possível ter admiração por uma, assim como podemos ter admiração por um artista, um atleta ou uma figura pública, por exemplo.

O negócio é ter equilíbrio. Gostar demais ou odiar demais não faz bem pra ninguém. Não podemos amar tanto uma empresa a ponto de ficarmos cegos para os seus problemas assim como não podemos odiar tanto uma empresa a ponto de achar tudo o que ela faz ruim.

Vamos abrir os olhos, observar e ser razoáveis. Além disso, nunca podemos esquecer de respeitar a opinião dos outros. Não existe uma verdade absoluta, já que ninguém é igual.

Tudo começa por aí, respeito. :wink:

12 Curtidas

Creio que as razões são as mesmas pelas quais as pessoas amam ou odeiam um time de futebol, um político, uma celebridade, um líder religioso, um programa de TV, um filme, uma marca, etc… Não é racional, mas subjetivo.
Eu sou da opinião que qualquer extremo sempre será um lugar inóspito para se habitar. Equilíbrio é o segredo pra quase tudo na vida.

8 Curtidas