Só mais um pouco

Enquanto utilizo um pouco do tempo do meu trabalho (na qual não deveria), estou escutando pela primeira vez aquela cantora Billie Eilish, mais precisamente a música When the party’s over (na qual não tem nada a ver com o que venho a pensar e a escrever), mas pensei nas coisas que consumi este ano (ao menos algumas delas). E quando digo que consumi, digo que foram as coisas que acabei gastando impensadamente o meu dinheiro “suado”.

Me veio a ideia de que poderia conceder a mim mesmo o livre e abstrato pensamento de que eu deveria ter mais consciência das coisas que consumo e gasto/invisto. O mais incrível de acreditar é que eu sempre pesquiso se de fato eu devo comprar ou não (se é por si só um desejo ou se de fato eu preciso do objeto que quero) muitas vezes me apego à ideia de que o que eu vou comprar é algo realmente necessário, mas uma coisa é certa: independente do que seja, no meio do caminho, enquanto utilizo o que comprei, alguma coisa se dá como errado e percebo que me ferrei mais uma vez. Vejamos 3 exemplos básicos do que comprei e o porquê acho que não deveria ter comprado:

  • Um celular novo (Pqp, eu tinha um telefone que estava funcionando perfeitamente. Tudo bem que eu desapeguei e vendi pra outra pessoa, mas depois de duas semanas de uso, percebi que o celular anterior cumpria a mesma proposta, ao menos para o que eu preciso);

  • Livros (toda semana, sempre que vejo um livro em promoção, eu compro. Perto do meu trabalho tem um sebo que vende livros novos e usados pela bagatela de R$ 5,00. O mais ridículo é saber que eu compro, mas sei que vou ler no meu Kindle, porque geralmente tenho o livro nele. Resumindo: no fim do mês eu gasto com livros físicos, sabendo que vou ler com o Kindle;

  • Bolsa nova (Tudo bem que parece que eu estava precisando. Isso até o momento me vem como incontestável. Mas eu tenho outra bolsa novinha, que também cumpre a proposta, mas me deixa com a coluna doendo, porque ela se usa de lado. Mas aí eu pergunto: será que não dava pra aguentar mais um pouco?).

São pontos como esse que me pergunto: será que tem alguma coisa de errada comigo? Das duas opções, só me resta uma: Eu não sei gastar o meu dinheiro ou não sei investir da maneira correta.
A minha ex-chefe, chamada Duda, sempre que me solicitava algo, ela analisava e quase que todas as vezes, ao final de verificar dizia: Cumpre a proposta ou NÃO cumpre.
E todas as vezes que compro algo que pode ou não me beneficiar, vem em minha mente, em alto e bom som a voz dela dizendo: será que cumpre a proposta para o que quero? Todo mundo, antes de gastar ou investir, deveria se perguntar dessa forma. Será que isto, que vou adquirir neste momento, cumpre a proposta do que eu quero? Se for bom, é investimento, se não for, é gasto.

Enquanto me pergunto isso, percebo que não há nada como uma música boa, e ahh, de fato, parece que Billie Eilish (ao menos a música que agora estou ouvindo, bellyache. Realmente é boa.

9 Curtidas

Olá @juniorcroft
Primeiramente, que texto, heim!! Muito interessante e me prendeu rsrs vc pode escrever matérias para jornal, revista, internet :sunglasses:

Até coloquei aqui pra escutar. Meu amigo, se vc pensar nos teus gastos ouvindo essa musica vc chora mesmo kkkkkk achei meio deprê

Agora eu tbm tô assim. Antigamente eu comprava sem pensar mto e depois me arrependia. Hoje eu penso mil vezes e felizmente acabo tomando a decisão certa. Esse questionamento pré compra faz toda diferença.

Hahaha fica tranquilo, principalmente as mulheres sabem bem o que é isso

Pelo que vc falou, de fato o celular não era prioridade né. Já que estava tudo funcionando perfeitamente, poderia ter esperado mais um pouco e economizado um bom dinheiro, pq convenhamos que celular não tá barato né

Livros dá pra levar numa boa pq já que são usados e por esse valor de R$5,00, não está tão chocante assim, mas levando em conta que vc tem o kindle e praticamente não lê o livro físico, seria mais pra guardar né. Mas eu gosto tanto de livros que acho uma preciosidade. Pra dar aquela economizada, vc pode baixar no kindle invés de comprar. Eu depois que comprei o meu, tenho centenas de livros baixados, nunca mais comprei livro físico e nem em versão digital. Mas tbm reconheço todo valor de ter o livro em mãos e virar as páginas rs mas o kindle é uma biblioteca na sua mão, tem que aproveitar

Não dava pra aguentar mais um pouco!! Se vc estava com a coluna doendo, tinha mesmo que comprar outra bolsa. Saúde em primeiro lugar. Entre essas 3 compras, essa eu achei mais necessária. Fica tranquilo rsrs

O que te aconselho é não acumular mta coisa. Se vc compra uma coisa nova, tenta vender a velha. Assim vc ganha uma graninha tbm.

Isso é normal! A gte tem que equilibrar o que é necessário e o que não é e tbm de vez em qdo a gte tem que se dar ao luxo de nos agradar rs

5 Curtidas

Quem nunca passou por isso, que atire a primeira pedra não é mesmo?

Todos [uns mais do que outros], já compraram algo que não precisavam e/ou gostavam. Isso vem desde a nossa infância onde ganhávamos uns trocados e já íamos correndo na mercearia gastar. Fossos ensinados e incentivados desde pequenos a comprar e enquanto não víamos o último centavo indo embora, não ficávamos felizes.

Hoje, mais maduros, vemos que poupar não é só preciso como que quase necessário uma vez que imprevistos acontecem cotidianamente. Então, particularmente, criei uma regra básica: Não comprar nada no impulso. Sempre que vejo um item em promoção, com desconto alto ou que mesmo com valor alto me chame a atenção, eu aguardo pelo menos 1 dia e verifico se no dia seguinte aquela vontade ainda permanece. Nesse meio tempo, consigo amadurecer a ideia, verificar se realmente preciso, se aquele item de fato esta me fazendo falta naquele momento. Se a resposta for “não” para algumas dessas perguntas, talvez seja melhor repensar a compra.

3 Curtidas

Melhores comentários. Impossível não ler!!! Obrigado pelas dicas. Achei muito mais do que necessário. São de utilidade pública. E acredite, é quase uma deprê quando se pensa nos boletos para pagar. Mas quem nunca, não é verdade?!! E ahh, as bolsas novas ainda não chegaram (me avisou que chegaria hoje) e sabe como é, já estou ansioso pra receber. O sentimento de compra e espera do produto é muito bom.

O problema mesmo é na hora de pagar as contas. Mas, somos brasileiros e seeeeeeeeempre damos aquele jeitinho pra pagar tudo e ao menos tentar sair no azul, no final do mês. Obrigado mais uma vez pelas palavras incríveis de apoio, e ahh, escuta lovely da Billie.
Acho que vai gostar.

Até mais!

2 Curtidas

Oii. Sábias palavras. Sabe aquela dica que completa o pensamento? Tanto seu, quanto da @anon28091172 me favoreceram e muito. E me veio em mente, na época em que eu tinha uns 8 anos, que eu ganhava aquele famoso 1 real de cédula e corria na mercearia comprar chiclete e figurinhas do Dragon Ball, pra colar no álbum (bons tempos).

O sentimento de compra, ao menos na pre compra, tem que ser esse mesmo: não comprar por impulso e repensar algumas vezes, antes de finalizar o carrinho para não ficar arrependido. Caso contrário, a gente acaba se ferrando. Eu compro muito nas plataformas digitais, tais como Mercado Livre. O que me deixa mais tranquilo, porque tenho a opção de devolução em até 30 dias. Já me arrependi de 2 compras este ano e tive o dinheiro de volta. Mas acredito que deveria ter me arrependido de algumas mais.

Grande abraço!

2 Curtidas

Gente do céu, quando eu abri esse tópico pensei: “Que textão :see_no_evil:
Na primeira linha já esqueci isso e AMEI DEMAIS! :clap:t3: :purple_heart::purple_heart::purple_heart:

Você resumiu a história de muita gente, pode ter certeza que várias pessoas passam por isso [você não está sozinho]. Desde a parte de estar usando o tempo do trabalho na internet [kkkkk] até a parte de pensar que algo está errado porque acha que não sabe gastar bem o dinheiro.

Melhor conselho não há. :moneybag: :clap:t3::clap:t3::clap:t3:

Obs.: Esse seu relato me lembrou que esses dia a Nubanker abriu um discussão sobre sentir culpa ao gastar, dá uma olhadinha depois, é uma discussão bem interessante :point_down:t3::

1 Curtida

Excelente tópico!
Me vi em tantas situações. :joy:

Uma dificuldade que eu tinha era usar várias formas de pagamento, crédito, débito, outros cartões, sabem? Então você fica meio perdido no meio do mês em contabilizar o total de gastos. O que faço agora é centralizar tudo em um meio de pagamento.

Billie Eillish é tudo! AAA
Ouça “Lovely”, é ótima! Com outro ícone: Khalid.

2 Curtidas