Sugestão de Nova Caixinha

Bom, eu jamais reclamaria do IOF com o banco, mas com o governo.

Como no artigo que o colega @anon30102627 citou, a situação desses que dizem não cobrar IOF é obscura e parece fazer uso de uma manobra que a gente não sabe por quanto tempo para de pé. Eu sou meio “caxias”, fico mais tranquilo em uma instituição que segue uma linha mais transparente com a interpretação da legislação e dos regulamentos.

A escolha pela rentabilidade somente após 30 dias, essa sim é do Nubank e dá pra reclamar. Eu já acostumei a usar as caixinhas e gastar uns cliques a mais, não acho que vale o meu esforço de tentar reverter isso aí…

6 curtidas

Na prática acaba sendo isso mesmo, @LuckPass

5 curtidas

N26 não cobra IOF em seus spaces/

2 curtidas

Aparentemente, o IR também é sempre 22,5%, como no Iti.

4 curtidas

Não cobra IOF mas não abaixa o IR
Ou seja tá perdendo dinheiro se deixar lá por mais de 30 dias.

5 curtidas

Se vc não paga IOF, com certeza a instituição arca com essa despesa. Eu suponho que ela te devolve o valor que vc paga para o governo. Mas isenção não existe. O IOF está presente até em empréstimos, o governo não quer ficar sem a sua parte do bolo.

5 curtidas

Não é o caso. Só não será vantajoso acima de 180 dias, quando ocorre a redução da alíquota.

9 curtidas

IOF é um imposto federal, ou seja, não tem como escapar.

4 curtidas

Mercado Pago, Iti do Itaú e outros bancos oferecem esse benefício. Eu venho utilizando essa vantagem da conta remunerada sem IOF há vários anos, porém gostaria de poder fazer isso no Nubank e centralizar tudo em um único banco. Uma caixinha sem IOF, com rendimento de 100% do CDI, seria ideal para reservar o dinheiro do mês destinado aos gastos no cartão de crédito.

1 curtida

Pra compensar, o IR é sempre 22,5%.

Não vale a pena para o longo prazo.

O Iti, eu sei que tem essa taxa de 22,5%, mas em relação ao Mercado Pago, não tenho certeza. De qualquer forma, a ideia é movimentar apenas o dinheiro do mês, e quem não entender o funcionamento acaba arcando com os custos. É um típico produto bancário, onde quem entende se beneficia e quem não entende ou não se importa (que é a maioria) acaba pagando mais.